Helena Ramos e Eládio Clímaco em Lamego

Os apresentadores da RTP assinalaram os 188 anos da Banda Filarmónica de Magueija
Criada em 1824, a Banda de Magueija é, seguramente, uma das maiores do país com os seus 55 elementos na sua maioria jovens. “É uma associação que se dedica ao ensino e promoção da música e é a maior embaixadora da freguesia de Magueija, sendo o seu valor artístico e musical reconhecido em toda a região”, sublinha Helena Ramos encantada com a qualidade do concerto que os 55 elementos ofereceram à cidade por ocasião do Dia de Reis.


Devido à sua forte componente de juventude, a banda faz uma abordagem de vários tipos de música, tornando-se assim do agrado de públicos de todas as idades. A seleção musical no Dia de Reis em Lamego deixou encantadas as 400 pessoas que enchiam o teatro da cidade, a quem o Presidente da República chamou o Scala do Douro.


Magueija é uma terra muito antiga que foi concelho até 1836, alguns anos depois da criação deste grupo musical cuja notoriedade faz com que a Filarmónica de Magueija seja convidada para abrilhantar festas e romarias de norte a sul do País.


Apesar da sua longa vida, a Banda de Magueija nunca interrompeu a sua atividade. Pelo contrário, criada com meia dúzia de elementos, nunca parou de crescer ao longo dos últimos anos. “O aniversário da banda assinala-se todos os anos em Magueija, com um almoço e um concerto no dia 8 de Dezembro, mas a grande festa é o espetáculo de Ano Novo quando a banda vem apresentar-se à cidade, no Teatro Ribeiro da Conceição, a casa mítica de Lamego”, afirma Mário Sousa, advogado, grande entusiasta da banda da sua terra.


No grupo, há diversidade de idades. “O mais jovem tem 10 anos e o mais velho 63, embora a grande maioria não ultrapasse os 30 anos. Igualmente gratificante é a escola de música que funciona este ano com 19 elementos”, afirma
Mário Sousa para acrescentar que desde sempre a música esteve presente em Magueija.


Talvez por isso Helena Ramos fez questão de referir na apresentação do concerto que “em Magueija até as galinhas sabem música!”, um ditado muito antigo da terra que conta com pouco mais de 600 eleitores. “Praticamente todos os jovens passam pela escola da banda, por isso toda a gente sabe ler uma pauta de música, o que acaba por criar um ambiente cultural único”, conclui a apresentadora da RTP.


Segundo o advogado, a música cria mais aptidões e ajuda a desenvolver as capacidades das crianças. . Por outro lado, Magueija não tem processos crime no tribunal de Lamego, o que se deve, na opinião de Mário Sousa, a toda uma “vivência cultural em que as pessoas arrumam as ideias noutros lados e não em comportamentos desviantes.”


Texto: Palmira Correia

Comentários