Halle Berry contra “paparazzi”

Atriz pede uma lei contra os fotógrafos selvagens em nome da proteção das crianças.

A atriz Halle Berry pediu às autoridades californianas uma lei contra os “paparazzi”, alegando que estes fotógrafos selvagens não poupam ninguém e que a sua própria filha já tem medo de ir à escola.

Num depoimento prestado perante o Comité para a Segurança Pública, em Sacramento, Halle Berry, de 46 anos, disse que é imperioso limitar a capacidade de os “paparazzi” fotografarem os filhos dos famosos.

Primeira mulher negra a ganhar o Óscar de Melhor Atriz (por “Monster’s Ball, em 2012), Berry contou que sua filha Nahla, de 5 anos, não compreende por que os fotógrafos a seguem por todo o lado: “Não quer ir à escola porque sabe que estão a observá-la. Saltam dos arbustos, da traseira dos carros e sabe-se lá donde mais, espreitando os meninos só para conseguirem uma foto”.

Halle Berry, que está noiva do ator francês Olivier Martínez, sublinhou que pedia uma lei restritiva enquanto mãe de uma menina “e do bebé que traz no ventre”.

Segundo o jornal “Washington Post”, Halle Berry revelou, ainda, que a pequena Nahla, chegou a pensar que os “paparazzi” iam matá-los quando a família desembarcava em Los Angeles, em abril, depois de umas férias no Havai:

“Eles estavam a tentar provocar uma zaragata com o meu noivo, porque essa foto vale mais dinheiro. Quando isso aconteceu, minha filha Nahla perguntou-me: ‘Mãe, vão matar-nos?’. E nessa noite só consegui adormecer pelas 3 da madrugada porque o episódio não me saía da cabeça…”, explicou a atriz.

A ser aprovada, a nova lei alteraria a definição de “assédio”, que passaria a incluir a proibição de “fotografar, gravar ou seguir uma criança sem autorização de um tutor legal”.

Comentários