Famosos choram Manuel Forjaz

A morte do empresário não deixou ninguém indiferente…

A morte do empresário Manuel Forjaz, vítima de cancro aos 50 anos de idade, não deixou ninguém indiferente.

Dezenas de figuras públicas associaram-se às manifestações de pesar e deixaram comoventes mensagens nas redes sociais.

Aqui ficam algumas:

Manuel Luís Goucha: “O Manel há quatro anos que lutava contra um cancro, mas em momento algum deixou de ser o Manel que avassala, que arrebata, que empolga. (…) E em momento algum o vi querer desistir ou, mesmo, abrandar. (…) A vida continuou com projetos, ideias, alegrias, desafios e… um cancro. Que não levou a melhor… até hoje. (…) Mas não nos levou o Manel (…) não a sua luz, não o seu sorriso, não a sua verdade. (…) Estou triste, claro que sim… mas o encantamento de o ter (sim, de o ter) na minha vida, é certamente maior. Por isso, de Manel para Manel te prometo: nunca me distrairei da Vida!”. 

Cristina Ferreira: “Hoje não, Manel. Não era agora. Agora ninguém esperava. Mas talvez Aquele em que acreditavas tenha achado que sim. E lá foste tu. Obrigada pelo que nos deixaste. Boa viagem”. 

José Alberto Carvalho: “Morreu um amigo. O dia está lindo. Era assim que ele queria. (…) Morreu um combatente. Morreu uma pessoa que nos ajuda a viver. Sabia - sabíamos todos - que este dia chegaria. (…) Acendi duas velas junto à fotografia dos meus filhos e decidi ouvir o ‘Ilumina-me’, do Pedro Abrunhosa. Vale a pena a letra. Vale a pena a vida. Vale a pena quem nos ilumina. E vale a pena tentar iluminar outros”.

Fátima Lopes, apresentadora: “Impossível ficar em silêncio. Partiu Manuel Forjaz. Um grande homem, uma força da natureza, um amigo. Guardo no coração o brilho do seu olhar, alguém que teve a mestria de viver sempre apaixonado pela vida”.

Pedro Abrunhosa: “'Hoje faleceu Manuel Forjaz, Amigo, Comandante de conversas e ensinamentos. Falámos tantas e tantas vezes do absurdo da morte. (…) E ainda há tão pouco tempo me dizia: ‘A tua música enche os meus dias!’ Era um Homem profundo e intrinsecamente Bom. Fica com a Luz com a qual tanto acendemos os dias, Manuel”.

Joana Sousa Cardoso, que luta há seis anos contra um cancro de mama: “Não consigo deixar de me sentir cada vez mais perto da morte com a notícia de hoje... Durante todo este processo foram várias as pessoas que se cruzaram no meu caminho, amigos, familiares, pessoas que admirava (e continuarei a admirar) que não resistiram à merda desta doença! Sinto-me profundamente triste e impotente... O sentido da vida? Não faço ideia. Mas não vou nunca adiar ser feliz”. 

Tânia Ribas de Oliveira: “Entrevistei-o no dia 23 de março, na Maratona da Saúde, na RTP. Sim, há menos de 15 dias. As suas palavras arrancaram aplausos de pé de toda a plateia na Aula Magna. Um homem verdadeiramente inspirador. Morreu hoje o Manuel Forjaz. E como sempre sublinhou que aconteceria, morreu de cancro. Mas o cancro nunca o matará”.

Comentários