Escândalo em Hollywood

Ator acusa realizador do filme “X-Men” e outros executivos da indústria do cinema de abusos sexuais.

O ator e modelo norte-americano Michael Egan, de 31 anos, processou o realizador do filme “X-Men”, Bryan Singer, e mais três executivos de Hollywood por, alegadamente, ter sido alvo de “abuso sexual e violação” quando era menor.

As ações deram entrada esta semana num tribunal do Hawai, com pedidos de indemnização superiores a 10 milhões de dólares.

Egan alega que Bryan Singer e mais três empresários da área do entretenimento o coagiram a práticas sexuais em “festas infames e degeneradas” no final dos anos 90, quando ele não tinha mais de 15 anos, em troca de promessas de trabalho no cinema.

Em conferência de imprensa concedida em Beverly Hills, na Califórnia, na passada segunda-feira, o queixoso revelou os nomes de vários executivos que teriam participado em tais orgias com menores e pediu a outras vítimas que o ajudem no processo judicial agora iniciado.

Até ao momento, apenas um dos denunciados, o empresário Gary Goddard, veio a público proclamar, através do seu advogado, que “a acusação não tem mérito”.

Comentários