Entrevista com Raquel Rocheta

Ex-mulher de Carlos Cruz revela que vai ter um Natal muito poupadinho

Raquel Rocheta vai passar o Natal no Algarve na companhia da filha Mariana, de 11 anos, fruto do seu antigo casamento com Carlos Cruz, dos pais e da irmã. Diz que não está “a nadar em dinheiro” e que não vai poder dar o presente que a sua menina pediu.

Como vai ser o seu Natal este ano?

Vai ser normal. Vou com a Mariana até ao Algarve, onde tenho os meus pais e a minha irmã.

Como são as tradições natalícias em sua casa?

A minha mãe faz o bacalhau, é uma grande cozinheira. Ainda por cima tenho um cunhado italiano que aproveita para fazer algumas iguarias da terra.

É, então, um Natal passado à mesa?

É. Acho que é como na casa da maior parte das pessoas (risos).

A Raquel também põe a mão nalgum prato?

Ponho. Gosto muito de cozinhar, mas não sou de doces. Gosto também de fazer bacalhau, embora prefira fazer coisas um bocadinho mais elaboradas. Também sou uma fã dos robots de cozinha… (risos)

Há alguma iguaria a que não consiga resistir nesta quadra?

Sim, os sonhos… (suspiro).

No seu universo familiar, qual é a pessoa mais difícil para se oferecer uma prenda?

Talvez o meu pai, que é uma daquelas pessoas que acham sempre que não devemos gastar dinheiro em coisas “desnecessárias”. Ele gosta mesmo é de nos ter todos juntos e considera que as prendas devem ser exclusivamente para as crianças.

E a sua filha Mariana pediu algum presente especial?

Ai se esse fosse dizer a lista!... (risos)

Vai oferecer a lista inteira?

Nem pensar. A minha filha era viciada em compras e achava que o dinheiro não terminava. Mas ela está um bocadinho mais realista e já percebeu que o dinheiro tem um grande limite, que ninguém está a nadar em dinheiro, muito pelo contrário, estamos todos a tentar poupar o máximo. Disse-lhe que tinha direito a apenas um presente e ela pediu-me um iPod 5, que custa um balúrdio. Já lhe disse que não vai poder ser e que temos de encontrar outro presente…

E a Raquel? O que gostaria de receber?

Uma viagem. Deve ser o que mais gosto de fazer. Agarrar nas malas, sem nada combinado, e ir por aí, sem hotéis marcados, nada…

Mas sozinha não tem piada. Ou tem?

Iria com um grupo de amigas! Divirto-me muito com um grupo de amigas, mais do que com qualquer namorado.

artigo do parceiro: Top Fama

Comentários