Eduardo Beauté e Luís Borges mostram a sua filha africana

Primeira foto de Lurdes, a menina da Guiné adotada pelo casal.

O manequim Luís Borges e o seu marido, o cabeleireiro Eduardo Beauté, decidiram divulgar uma primeira imagem de Lurdes, a menina de 18 meses que adotaram na Guiné e que vem juntar-se ao pequeno Bernardo, de três anos, primeiro filho do casal.

Numa mensagem colocada no Facebook, Beauté aproveita para responder aos críticos que os acusam de terem mais facilidade em adotar crianças, “apenas por serem famosos e gays”, e desafia-os a levarem para suas casas crianças abandonadas e doentes…

Escreve o cabeleireiro:  

“Decidimos partilhar pela primeira vez a foto da ‘Lu’, ainda com três meses, e também, pela primeira vez, uma do Bernardo com poucos meses, quando ainda nem o conhecíamos, porque existe um enorme número de comentários nas redes sociais, com muitos a manifestarem o seu desagrado em termos deselegantes e, até, ofensivos. Porque eu e o Luís adotamos com muita facilidade só porque somos famosos e gays e os ‘casais normais’ como se referem, têm de esperar muitos anos para o conseguir. 

“Se esses mesmos casais não se importarem de adotar crianças especiais, como o Bernardo, ou ir a África e trazer uma criança de raça negra, que muitas estão a passar fome e na maior parte das vezes nem instituições existem para as acolher … pois lhes garanto que qualquer pessoa consegue em pouco tempo ter um desses meninos e nem faz diferença se é solteiro, gay ou ‘hetero’, só precisa de ter espaço no seu coração para aceitar estas crianças em que na grande maioria são rejeitadas. 

“Aproveito também para informar que na Guiné, país de origem da nossa filha Lurdes, os tribunais não sabem quem nós somos, por isso a nossa fama não influenciou em nada. Para além de que o processo já se arrasta há mais de um ano, desde que ela tinha três meses, e só depois de o tribunal ter tomado a decisão de que a menina iria ter uma vida mais digna, como qualquer ser humano merece, é que partilhamos publicamente esta nossa alegria.” 

Comentários