"Deixei o meu mundo interior tomar conta daquele local"

David Fonseca contou como é que surgiu a ideia do álbum em português.

'Futuro eu' é o primeiro disco cantado na língua portuguesa de David Fonseca, que chegará àslojas no dia 16 de outubro.

Ocantor contou na página do seu Facebook, como é que surgiu esta ideia.

"Há um ano e meio entrei numa casa vazia a poucos metros do mar, o Inverno a empurrar o vento contra as janelas, a familiaridade de uma casa onde curei desilusões e alimentei sonhos, quase todos impossíveis como os sonhos devem ser. Um computador, uma máquina de escrever, um microfone, um teclado e uma guitarra foram montados no meio da sala e, desligado do mundo lá fora, deixei o meu mundo interior tomar conta daquele local, a minha voz a bater nas paredes, fita-cola a prender as teclas num acorde só, cordas que partiam com a agitação e ânsia do momento. O caos de ideias e sons de muitas horas deu lugar a um longo e solene silêncio, de onde abruptamente emergiu a minha voz a cantar estas palavras: Não vás. Não deixes um momento só levar. A luz do teu lugar", disse David Fonseca.

O cantor disse que foi assim que o seu “primeiro disco inteiramente cantado em língua portuguesa começou a acontecer”.

"Algures no meu mundo interior, encontrei-me de frente com esse sítio que tão poucas vezes explorei na minha vida. O que me levou até esse sítio é uma história mais longa e dura, pouco dada à brevidade destas palavras virtuais, fica para outro sítio, outro dia", acrescentou.

David Fonseca disse ainda que foi com grande entusiasmo que fez o “conjunto de canções”.

"Nunca um trabalho musical esteve tão perto da minha forma desajeitada, inconstante, revoltada, inquieta e sedenta de viver os dias, as horas, os segundos, as pessoas, os sítios, as mãos que me agarram, o amor, sempre o amor. Não sei descrever música, duvido que alguém o saiba verdadeiramente, mas a intensidade com que toda esta aventura foi vivida traz à tona esses lugares abstratos e infinitos que fogem à normalização dos dias, à uniformização dos sons e ideias que atravessam o nosso espectro sonoro em melodias de fundo no centro comercial, ao encontro suave ou violento com as emoções que não encontro noutro lugar senão na música", completou.

artigo do parceiro: NM

Comentários