Carlos Cruz vai pedir pulseira eletrónica

Condenado no processo “Casa Pia”, o ex-apresentador quer cumprir em casa o resto da pena de prisão.

Preso na cadeia da Carregueira desde março último, o ex-apresentador Carlos Cruz, um dos condenados no processo Casa Pia, quer cumprir o resto da pena em sua casa e prepara-se para requerer o regime da pulseira eletrónica.

Ricardo Sá Fernandes, advogado do detido, confirmou que está a estudar o “timing” exacto do pedido, que, segundo a lei, poderá ser formulado um ano antes de alguém ter cumprido metade de uma pena de prisão.

Neste momento, Carlos Cruz, que foi condenado a 6 anos de cadeia e já cumpriu dois (incluindo os 16 meses de prisão preventiva), já reúne tal condição, mas os seus defensores legais só querem entregar o requerimento quando tiverem a certeza que o pedido será mesmo aceite.

Marta Cruz, filha mais velha de Carlos Cruz, já manifestou a “esperança” que o pai possa regressar a casa ainda a tempo de passar o Natal com a família.

Noutro plano, soube-se também hoje, através da revista “Nova Gente”, que o antigo apresentador de televisão, de 71 anos de idade, pôs à venda a sua moradia de Cascais, onde viveu nos últimos tempos. 

A agência imobiliária incumbida da transação está a pedir 400 mil euros pelo imóvel, sendo que uma proposta de arrendamento, a preços entre 1.800 e 2.000 mensais, também poderá ser considerada.

Comentários