Bárbara e Carrilho divorciados

Ex-ministro vai receber 400 mil euros e já pode ver os filhos.

Manuel Maria Carrilho confessou-se “muito contente” com o acordo de divórcio que ontem assinou com Bárbara Guimarães num tribunal de Lisboa.

“Tudo acabou, finalmente, onde deveria ter começado, num tranquilo processo de divórcio por mútuo consentimento” – disse o ex-ministro da Cultura, que esta sexta-feira já vai poder os dois filhos do ex-casal, Dinis Maria, de 9 anos, e Carlota Maria, de 3.

Nos termos do acordo, a apresentadora da SIC vai ficar com o apartamento que vinha partilhando com Carrilho, mas terá de pagar-lhe 400 mil euros (340 mil correspondentes a metade do valor da casa e 60 mil relacionados com um antigo empréstimo).

Os filhos ficarão a viver com a mãe, mas o exercício do poder parental será feito de forma conjunta, com Manuel Maria Carrilho a garantir o direito de poder jantar uma vez por semana com as crianças e de passar um fim de semana com elas de quinze em quinze dias.

À saída do tribunal, enquanto Bárbara Guimarães permanecia em silêncio, Carrilho fez algumas declarações aos jornalistas. Disse que estava “aliviado” e “muito contente”, mas não deixou de dar mais umas “bicadas” na ex-mulher.

Entre outras observações, o antigo ministro repetiu pela enésima vez que a apresentadora tem um grave problema de alcoolismo e aconselhou-a a “tratar-se”.

“Faço votos para que se trate, que se preocupe numa recuperação a sério” – disse ele.

Arrumada a questão do divórcio, ainda há assuntos que Bárbara e Carrilho terão de resolver. Ambos moveram processos um contra o outro – ela por “violência doméstica” e ele por “violência psicológica, emocional e social” – e tudo indica que, mais tarde ou mais cedo, o ex-casal voltará a encontrar-se. Em tribunal, pois claro.

Comentários