A passadeira para a fama

Um negócio familiar que evoluiu para transformar meras alcatifas em produtos de luxo

A Fábrica de Tapetes Vitória era um negócio de família. Uma vida inteira a produzir tapetes de lã, um saber que passou de pai para filho. Um dia, numa feira, a marca Egecarpets surgiu-lhes ao caminho e o espírito visionário da família trouxe-a para Portugal. Foi a primeira marca que a Decorpisus (uma nova empresa da mesma família) representou e, decorridos 18 anos, tornou-se uma referência no setor, representando, atualmente, 90% das vendas da empresa.

A Fábrica de Tapetes Vitória cedeu à crise e acabou por fechar portas, mas a Decorpisus continuou a tradição familiar ligada às alcatifas, que já vai na terceira geração. «A Ege revelou-se um produto diferenciador pela qualidade, pelo material (a poliamida) e pela associação a designers (Christian Lacroix, Versace, Jean Paul Gaultier e Chanel), contribuindo com propostas mais modernas», refere Mónica Massano, responsável de marketing da Decorpisus.

A sustentabilidade foi sempre uma prioridade na Ege, que utiliza «matérias-primas feitas de produtos oriundos da reciclagem e as próprias alcatifas são 100% recicláveis». Neste caso, aconteceu o inverso das demais marcas nacionais. Trata-se de uma marca estrangeira que deu novo impulso a uma empresa nacional. O facto de ser um produto líder mundial no setor das alcatifas impulsionou as vendas da Decorpisus.

Arquitetos, decoradores e designers de interiores reconheceram a qualidade e entre os 5.000 desenhos disponibilizados pela marca encontram sempre uma proposta à medida dos projetos que têm em mãos, seja na hotelaria (70% do volume de vendas da Decorpisus), nos escritórios ou no setor doméstico. Nos últimos dois anos, entre 2012 e 2014, a empresa passou a exportar as alcatifas Egecarpets também para os PALOP, nomeadamente Angola e Moçambique.

Dando continuação ao espírito visionário da marca, a Ege continua a estabelecer parcerias com artistas e a última colecção foi assinada pelo estilista dinamarquês David Andersen. «Esta colaboração tem levantado algumas dúvidas desde o início. Ninguém está à espera de transformar alcatifas em vestidos de alta-costura. Mas, de facto, foi isso que David conseguiu alcançar», disse Jan Magdal Poulsen, marketing e brand manager da Egecarpets.

Por cá, em meados de 2014, a Decorpisus associou-se à ModaLisboa sob o lema Vision e criou uma instalação de 920 m2 de alcatifa do designer dinamarquês Brian Frandsen, disposta em 250 camadas, que resultaram num retrato tridimensional. Com preços entre os 23 e os 45€/m2, a Ege é responsável pelo sucesso da Decorpisus.

Texto: Sandra Nobre

artigo do parceiro:

Comentários