Helena Coelho em entrevista

Os truques de beleza e saúde da modelo e apresentadora de televisão (fotos)

Iniciou a carreira de modelo aos 15 anos, foi mãe aos 20 e, um ano mais tarde, estreou-se como apresentadora, primeiro na televisão por cabo e depois na RTP, onde se mantém até hoje.

Para trás, ficaram o curso de comunicação social que frequentou, as competições de aeróbica em que participou e alguns dos sonhos de infância que ainda não realizou.

Hoje, aos 31 anos, Helena Coelho considera-se uma privilegiada com a vida tranquila em Setúbal onde vive com a filha Mariana, de 11 anos. «A cidade é perfeita para quem tem filhos e gosta de atividades ao ar livre e de uma vida mais serena e com mais tempo», assegura mesmo a apresentadora.

Enquanto modelo e apresentadora de televisão, duas profissões em que a imagem é muito importante, o que faz para manter-se elegante?

Até aos 18 anos pratiquei ginástica de competição, fazia aeróbica pelo Vitória de Setúbal e, portanto, estava naturalmente em forma. Aos 20 anos, engravidei da minha filha Mariana e recuperei muito rapidamente, mas nunca mais voltei a treinar como antes, apesar de saber que o desporto nos oferece juventude.

Atualmente que tipo de atividade física pratica?

Agora que entrei na casa dos 30, sinto que preciso de aumentar a atividade física para me manter em forma. Neste momento [janeiro de 2013], estou inscrita num ginásio. As minhas aulas preferidas são as de danças, como zumba, mas ando com vontade de experimentar o treino TRX, que é feito com elásticos em suspensão. Complemento o treino no ginásio com caminhadas, gosto muito de andar a pé.

E na alimentação que cuidados tem?

Evito fritos essencialmente para manter a qualidade da minha pele e tento beber muita água para o bom funcionamento dos órgãos. Gosto de comer em pequenas porções ao longo do dia e nos períodos em que me sinto inchada evito chocolates e farinhas, por serem as fontes de hidratos de carbono mais calóricas.


Já alguma vez fez dieta?

Não, nunca fiz. Adoro comer e acho que não era capaz de cumprir um regime alimentar.

O que faz após os excessos alimentares?

Não tenho balança em casa mas, quando me olho ao espelho e encontro um bocadinho de gordura localizada, evito os doces e os fritos nas semanas seguintes e aumento a ingestão de água.

Quais são os seus pratos favoritos?

Todos os que incluam massas ou arroz. Sou uma grande apreciadora das cozinhas mediterrânica e italiana e adoro cozinhar.

Quais são as suas especialidades culinárias?

Risotto de pato e pasta.

Costuma usar produtos light quando cozinha?

Sim, compro iogurtes light e uso queijos light para cozinhar. Não são muito diferentes dos originais e são nutricionalmente equilibrados.

Cozinha de forma saudável?

Sim, acompanho todas as refeições com salada e sou uma privilegiada. Porque consumo os produtos provenientes da quinta dos meus pais. O meu pai adora cultivar sem usar químicos e toda a família beneficia com isso.

Que cuidados específicos tem com a pele e os cabelos para preservar a sua beleza?

Tento sempre usar um bom champô e creme e, às vezes, tomo ampolas de reforço para a queda. De manhã e à noite, limpo sempre muito bem a pele e de seguida aplico um sérum e um creme hidratante.

Fez uma série para o canal National Geographic sobre sustentabilidade ambiental. Como surgiu o convite?

Creio que transmito a imagem de alguém com espírito zen e, talvez por isso, se tenham lembrado de mim para fazer o programa. No dia a dia, tenho alguns cuidados a esse nível. Por exemplo, aproveito a água da lavagem dos alimentos, rica em nutrientes, para regar as minhas plantas. Nunca tive carros luxuosos, preservo os meus bens, não sou consumista e o facto de viver numa zona tranquila, próxima da serra, tornou-me uma pessoa mais calma.

O facto de viver na margem sul do rio Tejo oferece-lhe uma maior qualidade de vida?

Sem dúvida. A cidade de Setúbal é perfeita para quem tem filhos e gosta de atividades ao ar livre e de uma vida mais serena e com mais tempo. Vivo a apenas cerca de 20 minutos de lisboa, numa cidade com uma vivência muito própria, com praias fantásticas e produtos regionais ótimos.

Quais os produtos regionais que prefere?

Adoro ir ao mercado não só pelo peixe mas também pelas flores e pela variedade de produtos sempre frescos, como legumes e ovos, dos pequenos agricultores e pela oferta de pão e de queijos feitos de forma artesanal, a preços muito acessíveis.

Tem algum truque de beleza especial?

A minha avó tinha noção de que o envelhecimento se notava muito nas mãos e, após o aparecimento dos protetores solares, nunca mais usou outro produto. Ainda hoje o meu creme de mãos é um protetor solar.

E no rosto também utiliza proteção solar diariamente?

Sim, sempre. O sol é o principal fator de envelhecimento da pele, além disso, não gosto de ter a pele muito bronzeada. Uma pele clara tem um ar mais saudável, mais limpo e fresco, ao contrário de uma pele muito bronzeada em que até se evidenciam mais as rugas. No verão, e especialmente na praia, mantenho o rosto à sombra e combino o uso de protetor com chapéu e óculos de sol.

E tem algum cuidado especial com o cabelo?

Sim, levo sempre um condicionador para a praia e quando saio da água escovo muito bem o cabelo e aplico uma boa porção desse produto para evitar que a água salgada e o sol tornem as pontas demasiado secas.

Que outros hábitos de vida saudável costuma adotar?

Tenho o cuidado de dormir oito horas por dia pois para mim é imprescindível. Quando durmo menos do que isso não funciono tão bem e fico mais propensa a ficar doente.

É uma leitora regular de revistas na área da saúde?

Sim, interesso-me especialmente pelos temas de alimentação saudável, gosto de ler algumas curiosidades acerca do exercício físico e gosto de aprender novos truques de beleza.

E a internet é uma fonte de informação a que recorre quando precisa de esclarecer questões de saúde?

Não. Cada caso é um caso e as poucas vezes que pesquisei na Internet não fiquei mais esclarecida, mas apenas mais alarmada. Aos 26 anos fui operada ao coração. Fiz um cateterismo devido a uma ligeira anomalia de Ebstein.

E, desde essa altura, sempre que tenho dúvidas falo com o meu médico. Neste momento, o problema está controlado mas tenho o cuidado de não ingerir substâncias estimulantes, como o chá, o café e as colas e de fazer exames de rotina, uma vez por ano.

O que faz para recuperar a calma em dias de maior stresse?

Danço em casa ou vou para o ginásio. Mas, em geral, vivo de forma tranquila e discreta. Tenho momentos de grande paz e, por isso, considero-me muito feliz.

Texto: Vanda Oliveira com Pedro de Castro Agoas (fotos)

artigo do parceiro:

Comentários