Fátima Lopes

A portuguesa fala sobre o desfile de Paris, mas também sobre a crise e o empreendedorismo feminino

Está em Paris neste momento. Quais as suas grandes metas para 2011?

Em termos profissionais, o 2011 será com certeza um ano difícil para o nosso país e para todos nós. As minhas metas consistem em conseguir manter e, se possível, fazer crescer os negócios que tenho nas várias áreas, bem como criar novas oportunidades.


Neste início de ano, precisamente com a colecção Inverno 2011/12 que estou a apresentar em Paris, é o primeiro objectivo. Logo a seguir, espero abrir o bar do meu espaço do Bairro Alto. A partir daí, continuar a trabalhar muito, como é meu hábito.

Como enfrentou a tão badalada crise de que tanto se fala?

A crise existe e eu tenho plena consciência da realidade. Tenho tentado adaptar-me aos tempos, diversificando os negócios e trabalhando 7 dias por semana.

Acredita no empreendedorismo feminino?

Fui nomeada Embaixadora do Empreendedorismo (representante de Portugal) pela União Europeia no final do ano passado. Há neste momento uma consciência generalizada de que as mulheres são fundamentais ao desenvolvimento do mundo empresarial. É uma constatação.

Em relação à colecção de Verão deste ano, o que propõe para a mulher portuguesa?

Proponho peças muito femininas e muito elegantes. Nos momentos menos bons, a moda tem a obrigação de trazer um pouco de magia e beleza ao Mundo.

França já é uma realidade para si. Nunca pensou em Milão, Londres ou Nova Iorque para fazer desfilar as suas criações?

Eu faço parte da semana da moda de Paris, a principal capital de moda do Mundo. Os desfiles são apresentados seguidos, começa por Nova Iorque, depois Londres, Milão e termina em Paris. A mesma colecção nunca poderia, nem faria sentido, ser apresentada mais do que uma vez.

Quais as cores que se vão usar e quais as que devemos guardar definitivamente no baú?

Já não há ditaduras de moda, cada criador apresenta as suas propostas, no final há uma coincidência de cores, que se transformam nas tendências. Há lugar para todas as cores e todos os estilos dependendo da personalidade de cada pessoa.

Considera a mulher portuguesa vaidosa? E se as compararmos, por exemplo, com as italianas ou as espanholas?

Considero as Portuguesas vaidosas e com noção de moda. Não gosto de fazer comparações, penso que é difícil igualar as Italianas, mas em relação às Espanholas, não vejo diferença.

A Fátima sempre teve o bichinho do estilismo desde muito nova. Sente hoje que valeu a pena o seu investimento?

Valeu a pena e continua a valer todo o esforço e investimento, sobretudo porque tenho a sorte de fazer o que gosto e me dá prazer.

Qual a sua peça favorita nesta estação?

No Verão gosto sempre muito dos vestidos, e esta colecção tem muitas peças muito especiais.

O que nunca vestiria?

Nunca vestiria roupa masculina.



Veja AQUI s fotos do desfile de Fátima Lopes na Paris Fashion Week, com as tendências Outono/Inverno 2011

artigo do parceiro: Nilza Rodrigues

Comentários