Ângelo Rebelo: "Não há fórmulas mágicas"

Da cirurgia plástica à especialização na cirurgia estética: um caminho que se tornou uma paixão para Ângelo Rebelo. Para o médico, mais que a cirurgia, é importante que o tratamento resulte na melhoria da auto-estima e dê confiança às pessoas.

Ângelo Rebelo, cirurgião plástico que optou por se dedicar à cirurgia estética em exclusivo há mais de 20 anos, reconhecido internacionalmente pela sua participação em Congressos e por ministrar cursos de Cirurgia Estética em vários Países do Mundo. Eis o nosso entrevistado.

Pertence a dezenas de sociedades médicas, nacionais e internacionais, exercendo cargos diretivos em algumas delas na área da Cirurgia Estética – Presidente da European Society of Aesthetic Surgery, Ex-presidente e membro da Direção da International Academy of Cosmetic Surgery, membro da Direcção e coordenador de exames do International Board of Cosmetic Sur- gery. Distinguido e Homenageado em vários Congressos Internacionais pelas técnicas apresentadas, e das quais foi pioneiro a nível mundial, como a Vibroliposucção, Mamoplastia de redução com cicatriz areolo-vertical, Mamoplastia de aumento com próteses de gel coesivo de silicone sob anestesia local tumescente, Blefaroplastia com mini-incisões. Diretor e responsável pela Clinica Milénio há mais de 15 anos.

Regra geral, os portugueses são um povo preocupado com a imagem, cuidam-se, ou não são nada vaidosos?

Ângelo Rebelo: São cada vez mais preocupados com a sua imagem, fruto talvez da maior competitividade nos dias de hoje, cuidando-se mais e por isso são mais vaidosos.

O que fazer para manter uma aparência saudável, sem cair em depressão quando se ins- talam as primeiras rugas? Há cuidados a ter desde cedo, como beber muita água, limpar e hidratar sempre bem a pele, comer bem e fazer ginástica 3 vezes por semana... mas do ponto de vista de um médico da sua área, que outros conselhos pode dar?

Ângelo Rebelo: Sob o ponto de vista médico já referiu bem os cuidados básicos e elementares a seguir. Na minha área muitas coisas já se fazem no sentido de prevenir e lutar contra o envelhecimento através de tratamentos médicos, na área da medicina estética, que são indicados de acordo com cada situação . Há quase uma “personalização” desses tratamentos.

Na Clínica Milénio há diversos serviços de cirurgia estética e plástica, medicina estética e técnicas de anti-envelhecimento e longevidade. Porque é que ainda é tão oneroso fazer uma cirurgia plástica? Implica muitos riscos ou isso é um mito?

Ângelo Rebelo: O oneroso é sempre relativo se verificarmos a quantidade de dinheiro “mal gasto” em tratamentos ineficazes e alguns deles enganosos que acabam por levar as pessoas a ter de recorrer a tratamentos mais eficazes, cirúrgicos ou não, acabando por gastar mais dinheiro. De qualquer forma, os resultados das técnicas por nós utilizadas fazem com que os custos finais sejam competitivos e acessíveis, atendendo à relação qualidade/preço.

«A necessidade de recorrer a várias cirurgias estéticas pode não ser um vício mas uma necessidade»

O que é que as portuguesas procuram mais, tirar rugas da cara, reduzir a barriga, tirar “pneus” inestéticos, aumentar os seios?

Ângelo Rebelo: A cirurgia estética mais  procurada em Portugal e noutros países é a de aumento de mama com próteses. Ao longo do tempo, outras tentativas de aumento de mama foram aparecendo, mas a verdade é que todas acabam por desaparecer pois não ofereceram resultados duradouros, seguros e esteticamente bons. Tirar gorduras é a segunda intervenção mais procurada.

«O sucesso não depende só de mim»

Uma vez começando a corrigir “defeitos” de que não se gosta, as plásticas tornam-se num vício por vezes desnecessário? alerta os seus pacientes para outras alternativas de que também dispõem na sua clínica, caso tenham dúvidas/riscos sobre algumas intervenções cirúrgicas?

Ângelo Rebelo: A necessidade de recorrer a várias cirurgias estéticas pode não ser um vício mas uma necessidade. Cada pessoa é devidamente avaliada e se não tiver indicação médica, não lhe é proposta nenhuma cirurgia. é minha conduta explicar aos doentes que não têm indicação para a cirurgia pela qual me procuraram, o porquê do chumbo e da minha recusa em realizar a intervenção e explicar quais são as alternativas.

Sendo um conceituado cirurgião português, há quem diga que as mamas que (re) faz são sempre as mais bonitas como lida com o sucesso e como encara o facto de ainda haver quem e brasileiros quando tudo o que se faz “lá fora” também se faz, e bem, há muito em Portugal?

Ângelo Rebelo: Agradeço-lhe por se referir assim a mim quanto à cirurgia de mama que é uma das minhas preferidas. Dou e faço o meu melhor em cada caso mas o resultado final não depende só de mim. Depende de muitos factores, entre eles a base de cada pessoa. Costumo dizer aos meus doentes quando me cumprimentam e felicitam pelo resultado, que este não depende só do “artista” mas também da “matéria-prima”. O Brasil é sem dúvida o país do mundo onde se realiza o maior número de cirurgias estéticas, mais ou menos a par com os Estados Unidos. Sou membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e desloco-me com  frequência ao Brasil para assistir e participar como convidado em congressos e cursos, e tenho muitos colegas brasileiros de quem sou amigo. Em Portugal estamos ao nível do que se faz lá fora (em qualquer parte) não havendo  atraso em relação às técnicas e tecnologias em Cirurgia e Medicina Estética.

Ângelo Rebelo

Faz liftings faciais e cervicais, rinoplastias,  otoplastias,  mamoplastias de redução ou de aumento. É sempre  quando chega a Primavera que as pessoas se preocupam mais com o aspeto do corpo, antes da praia, ou durante todo o ano?

Ângelo Rebelo: Embora já tenha tido uma maior expressão, a melhoria no aspeto do corpo preocupa mais as pessoas com a aproximação do Verão, principalmente em países com as estações como o nosso. Com o calor veste-se menos roupa e os contornos do corpo tornam-se mais perceptíveis. Esta é uma das razões para procurar melhorar antes do Verão.
As intervenções no rosto são normalmente mais procuradas no Inverno, embora, como referi no início, hoje já se faça tudo em qualquer época do ano. éÉ apenas obrigatório que se sigam as indicações e se tenham os cuidados recomendados.

O rejuvenescimento facial, das mãos, a lipoescultura não invasiva, os tratamentos de acne e da celulite são apenas temporários ou definitivos?

Ângelo Rebelo: Os tratamentos não cirúrgicos têm resultados menos objectivos e menos duradouros. Além disso, os tratamentos não cirúrgicos são muitas vezes “pseudo” tratamentos, ou seja, são utilizados placebos em vez dos produtos indicados, ou os produtos diluídos, e esses então terão resultados menos favoráveis e nada duradouros.

A partir de que idade se deve começar a ter as primeiras preocupações e cuidados com a pele para prevenir e tratar, antes que venham rugas, manchas e nevos difíceis dever ao espelho?

Ângelo Rebelo: Costumo dizer que se deve começar na barriga da mãe. Desde muito cedo que os tais cuidados com a alimentação, uma boa hidratação, exercício físico, evitar as coisas que fazem mal, ter cuidado com o Sol, etc., devem ser feitos desde muito novos. quanto mais cedo se começar, mais tarde se envelhece e se estraga o corpo.

Os cremes, por vezes caríssimos, que se vendem no mercado, são mesmo fórmulas mágicas ou apenas um engano para quem crê estar a comprar o produto do ano e a resposta para todos os problemas?

Ângelo Rebelo: Não há fórmulas mágicas. Há muitas promessas, poucos resultados e ninguém é responsabilizado  por  isso. Anuncia-se tudo, publicita-se tudo sem bases científicas com o único objectivo de vender, vender. Tanto cremes como comprimidos, como tratamentos.

Depois de uma intervenção para, por exemplo, aumentar as mamas, o silicone é ou não perigoso e as próteses têm mesmo que ser substituídas ao fim de 15 anos?

Isso é passado. Faz parte da história e só quem não está atualizado pode continuar a fazer essa afirmação. Se se usarem as próteses adequadas, de marcas conceituadas e de qualidade, com a nova geração do gel coesivo de silicone, não há essa necessidade. As próteses com que trabalho, e penso que outras marcas também farão o mesmo, dão uma garantia vitalícia para a substituição dos implantes.

São ainda mais as mulheres do que os homens a recorrer às plásticas ou já toda a gente re- corre a si para resolver pequenos grandes problemas estéticos que incomodam?

Ângelo Rebelo: As mulheres continuam muito à frente na procura de Cirurgias Estéticas, embora nos últimos anos a percentagem de homens tenha vindo a crescer muito, tanto na procura de cirurgias como de tratamentos médicos. Já não estamos longe de números que ultrapassam os 20%.

Nas senhoras há técnicas recentes importantes para recuperar a beleza, tonicidade e funcionamento dos órgãos genitais; são sobretudo mulheres que já foram mães que procuram essa ajuda ou há outras mulheres que querem melhorar aspetos estéticos para se sentirem seguras e reforçar a auto-estima? É ou não verdade que determinadas intervenções rápidas e pouco dolorosas podem também aumentar o prazer sexual?
Ângelo Rebelo: Os genitais externos, tanto na mulher como no homem, podem ser melhorados sob o ponto de vista estético. Há mais mulheres que procuram estas cirurgias e tratamentos, que podem contribuir para uma melhoria do desempenho sexual.

Cirurgia estética

Que tipo de operações prefere fazer, lhe dão mais luta e lhe são mais gratificantes?

Ângelo Rebelo: Encaro cada caso como se fosse um novo caso, em que o empenho e disponibilidade são personalizados, sendo quase um desafio para que o resultado seja o mais gratificante possível para todos. Toda a cirurgia estética é um desafio e uma luta constante com o objectivo de ter os melhores resultados possíveis, por isso não posso dizer que gosto menos desta ou daquela cirurgia, embora a mama me seja particularmente querida.

Já tem tido tantos  casos  de sucesso... mas recorda-se de algum  em  particular  em  cuja intervenção  tenha  mudado  radicalmente a vida de alguém?

Ângelo Rebelo:  Não é raro ter pessoas que mudam totalmente a sua forma de estar perante a vida, após uma cirurgia bem-sucedida. Melhoram a auto-estima, aumentam a confiança em si próprias. A verdade é que parecem outras pessoas quando vêm à consulta depois da cirurgia. São muitos, muitos casos e não gostaria de particularizar.

Há cada vez mais gente a querer mudar de sexo: é perigoso, pelas implicações psicológicas que comporta?

Ângelo Rebelo: A mudança  de  sexo  é uma  matéria complexa, sujeita a normas éticas e legais, em que uma equipa pluridisciplinar deve acompanhar cada caso desde o início até à decisão e conclusão final que são as cirurgias. Há maior procura e deve ser feita em centros especializa- dos com o tal acompanhamento pluridisciplinar e legal. Estas intervenções, se não forem feitas com todo o rigor, podem ter resultados catastróficos.

«Uma cirurgia bem sucedida melhora a auto-estima, aumenta a confiança»

Que conselhos dá a quem esteja a pensar ir à sua clínica milénio para tratar do rosto/corpo? é a melhor altura ou o inverno, longe do Sol, é sempre a altura ideal para pequenas correções ou grandes mudanças?

Ângelo Rebelo: O primeiro conselho é não virem a correr à última da hora para ter resultados imediatos. uma adequada e atempada programação terá melhores resultados. Sem dúvida que nesta altura do ano é o corpo a principal preocupação. “Arranjar” as maminhas, remodelar o corpo, diminuir o volume, tirar as “gordurinhas” chatas e resistentes a tudo, melhorar a celulite. Mas nem tudo é cirúrgico e há muitos tratamentos que podem dar uma preciosa ajuda. Mas é melhor que sejam efetuados com tempo para optimizar os resultados.

Que novidades estão preparadas para este ano na clínica milénio?

Ângelo Rebelo: Vamos apresentar muito em  breve  e em primeira mão em Portugal, um tratamento inovador para remodelar e rejuvenescer o rosto, pescoço e outras partes do corpo com um procedimento minimamente invasivo. Fiquem atentos pois vai ser revolucionário…

Sente que a auto-estima dos portugueses está elevada ou em crise? E o que fazer para reforçar o conceito de que a beleza vem de dentro para fora?

A auto-estima pode ser um reflexo de muita coisa, desde pessoal a geral. Os portugueses já estão “calejados“ para pagarem e sofrerem as consequências das crises, convulsões político-sociais, etc., e têm resistido a tudo. Têm uma postura própria, aparentemente passiva, mas muito atenta e na hora própria, reagem. A auto-estima tem altos e baixos e muitas vezes a beleza pode ser afectada ou afetar a auto-estima, daí a importância destas cirurgias na ajuda que podem dar, quando devida- mente indicadas e realizadas

Já lhe aconteceu convencer algum(a) paciente a não fazer o que pretendia quando o procurou?
Ângelo Rebelo: Aconteceu e acontece, em quase todas as minhas consultas, haver doentes que querem o que eu não posso dar ou têm expetativas fora da realidade. Esses são delicadamente ” chumbados”.

Tem um padrão de beleza? O que é, para si, um rosto bonito, um corpo perfeito?

Ângelo Rebelo: Não. Sou totalmente contra  padrões de beleza. “quem feio ama bonito lhe parece”. quem sou eu para julgar a beleza das pessoas? Há narizes “horrorosos” de pessoas mundialmente famosas (artistas, cantores….) que são conhecidos pelos seus “narizes”, que até lhes ficam bem e que seria um “cri- me” operá-los, em minha opinião. Da Vinci, em 1500, apresentou as Divinas Proporções, o Número Dourado mostrando as suas ideias de proporção e simetria aplicadas à concepção da beleza humana. Fantástico, mas passaram-se mais 500 anos e eu não as aplico de certeza aos meus doentes.

Revista Insights

artigo do parceiro:

Comentários