Viajar no maior navio de cruzeiros europeu

Parta à conquista do Mediterrâneo numa embarcação de sonho (fotos)

Tem uma piscina infinita, o maior escorrega sobre as ondas, os únicos restaurantes da cadeia Eataly (de filosofia slow food) no mar, um solarium exclusivo para adultos e muito mais para umas férias de sonho.Falamos do novíssimo MSC Preziosa, o navio de cruzeiro onde navegámos durante sete dias.

Trinta e oito metros de largura, 333 m de comprimento, 68 metros de altura e 18 decks. Com estes números impressionantes, não admira que ainda estejamos na Praça do Comércio em Lisboa e já comecemos a ver o MSC Preziosa, o 12º navio da frota da MSC Cruzeiros, atracado no terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, vindo do estaleiro de Saint Nazaire, em França.

É o maior navio europeu e, ao pé dele, tudo parece ter uma dimensão reduzida, mesmo Lisboa, as suas colinas e os seus monumentos, que se confundem com um cenário pintado de propósito para receber o preziosa na sua viagem préinaugural rumo a Génova, em Itália. Quando o Tejo ficou para trás, começámos a desbravar o navio e aquela que iria ser a nossa casa itinerante durante sete dias não demora muito a conquistar-nos.

Seja pelo luxuoso conforto que transmite, pelas inúmeras experiências que pode proporcionar, seja pelo sorriso sempre pronto dos tripulantes de 21 nacionalidades diferentes que nos dão as
boas-vindas em várias línguas ou mesmo pelo odor que se sente no ar (os navios da MSC são perfumados com uma fragrância exclusiva, a Med by MSC), a fazer lembrar outra viagem de boa memória, a sensação é indescritível.

Há tanta coisa para fazer no preziosa que temos uma certeza. A palavra tédio ficou em terra e com isto não queremos dizer que não haja tempo para relaxar a bordo. Se o desejarmos é possível e sempre com o melhor dos cenários, o mar e os seus vários tons pincelados pelo astro-rei. Ver o nascer e o pôr do sol ou olhar para o céu estrelado são motivos mais do que suficientes para fazer uma viagem a bordo de um navio de cruzeiro.

Mas se precisa de mais razões embarque connosco nesta viagem. No final, apostamos que vai querer fazer as malas e partir à conquista dos mares numa verdadeira cidade flutuante, ainda mais deslumbrante e sedutora do que alguma vez poderia imaginar.


Os dias a bordo

Acordar todos os dias num destino diferente, sem nos preocuparmos em fazer e desfazer as malas constantemente, é uma das grandes vantagens de um cruzeiro e, neste caso, o resort flutuante
levou-nos a cidades tão distintas como Cádis, Casablanca, Valência, Marselha e Génova. Saímos em cada Porto (as paragens, duram, em média, oito horas) e ficou a vontade de prolongar a estadia mas o regresso ao MSC Preziosa depressa nos fazia esquecer a vida lá fora.

Dentro do navio, entre mergulhos nas três piscinas (entre as quais a The Garden Pool, uma piscina infinita), momentos de relaxamento nos jacuzzis, corridas no ginásio, aulas de culinária no Restaurante Eataly, uma prova de vinhos italianos na Locanda (pizzaria & wine bar) e as animadas aulas de dança, as horas passavam sem darmos por isso. No entanto, todos os dias houve momentos de pausa para vermos a chegada e a partida dos portos ou simplesmente aproveitar o sol e vê-lo desaparecer no Mediterrâneo.

Essa observação pode ser feita na varanda do camarote ou noutro local do navio, geralmente naquele lugar isolado que encontrávamos e onde nos esquecíamos por completo que no MSC Preziosa viajavam mais de quatro mil passageiros e mais de mil tripulantes. Nessas alturas, a nossa companhia era apenas o mar e, mesmo no dia de navegação (sem paragem), foi possível desfrutar da serenidade que o oceano nos transmite quase sem ruído humano.

E por falar em tranquilidade, há outro espaço a não perder, o MSC Aurea SPA, com um menu de massagens balinesas e uma área termal, composta por sauna, banho turco, frigidarium e tepidarium. Os mais novos também não foram esquecidos e, para eles, existe o Doremi Castle Aqua Park Adventures, um parque aquático, além da Doremiland, com o Mini e Junior Club, onde nunca falta a animação.

As noites em alto mar

Quando a lua e as estrelas tapavam o sol, a roupa descontraída dava lugar aos fatos e aos vestidos de noite ou de cocktail. A bordo de um navio de cruzeiro ainda se valoriza a elegância e em algumas noites as calças de ganga são expressamente proibidas (para saber o que é mais apropriado para cada noite, basta consultar o programa diário que é deixado todos os dias no camarote, onde encontra todo a programação diária) e neste ritual de mudança de roupa também reside algum do encanto deste tipo de viagem.

A partir das 18 horas, o MSC Preziosa dá música para todos os gostos e tudo isto a uma curta distância de um elevador ou de uma escadaria. Na área da receção, ouvíamos música clássica ao som do piano e dos violinos. Na Phoenician Plaza, no The Green Sax Jazz Bar e no Safari Lounge havia música variada para dançar e, no El Dorado, pedíamos as nossas canções preferidas. E depois da primeira incursão musical da noite, todos os caminhos iam dar ao Platinum Theatre.

Com capacidade para 1600 pessoas e que apresenta um espetáculo distinto diariamente, desde um tributo a Freddy Mercury, passando por uma viagem pela música italiana dos últimos 50 anos ou pela música clássica, sem esquecer o Wonderland com as personagens de Alice No País das Maravilhas. Depois do jantar, os bares e o casino voltam a captar a atenção dos passageiros mas era na discoteca panorâmica Galaxy Lounge que, em regra, terminava a noite.

A arte de bem comer

No MSC Preziosa, à boa maneira italiana, comer é um prazer de tal modo que não seria difícil escrever um artigo apenas sobre a comida que experimentámos nos vários restaurantes (nove, ao todo) a bordo. Comecemos pelo Maya and Inca Buffet, aberto 20 horas por dia, desde o
pequeno-almoço à ceia.

Aqui a variedade é enorme e recomendamos as massas, as saladas, as pizzas mas também a seleção de queijos e enchidos e o corner étnico com pratos quentes de várias regiões do mundo. Nos dois restaurantes principais, The Golden Lobster e Arabesque, desfilam pratos atrás de pratos em menus constituídos por entrada, salada, sopa, massa ou risotto, prato principal e sobremesa.

Não temos que pedir todos, é certo, mas não é fácil resistir a tanto sabor, sobretudo depois de termos experimentado a primeira vez. Se está a pensar que um cruzeiro pode arruinar a sua dieta, não se preocupe, há sempre uma sugestão deliciosamente saudável com a quantidade de calorias descriminadas e até sobremesas sem açúcar, que provámos e aprovámos.

Entre os restaurantes temáticos (pagos à parte), destacamos o Galaxy Lounge Restaurant Club com menus a partir de 21€ (três pratos), onde saboreámos, ao som do saxofone e a dizer adeus a Casablanca, em Marrocos, aquela que foi a melhor refeição de toda a viagem, um título difícil de atribuir, é verdade, mas a sopa de vieiras, com cogumelos porcini e brasílico, o risotto de berbigão com mozzarella de búfala, o bacalhau cozinhado na tajine com cuscuz e a mousse de chocolate destronaram toda a excelente concorrência.

No bar da piscina, há outra tentação à qual não conseguimos resistir. Os gelados, em copo ou cone, cremosos alla italiana. Podemos dizer que estes setes dias foram, além de tudo o resto, uma verdadeira viagem gastronómica que os amantes de aromas e sabores vão saber apreciar e desfrutar.

Em terra

Durante esta viagem, visitámos Cádis, Casablanca, Valência, Marselha e Génova a solo mas, se preferir, pode integrar as excursões organizadas pela empresa, com preços a partir de 35 €. Estas são as atrações que não deve perder em cada um desses destinos:

- Cádis

É uma das cidades mais antigas da Europa e a Catedral, que combina o estilo barroco e o neoclássico, é o seu ex-libris. Mas Cádis tem outros pontos de interesse como a Alameda de la Apodaca e o Parque Genovés, onde pode apreciar o mar, e as ruas do centro da cidade com o seu comércio tradicional. Se for ao domingo, não perca a feira, junto ao parque, onde há de tudo. O porto está situado mesmo no centro da cidade, que tem o tamanho certo para ser visitada a pé.

- Casablanca

Imortalizada pelo filme com o mesmo nome, esta cidade marroquina tem dois pontos de interesse: a Mesquita Hassan II e a Medina. A primeira, construída à beira-mar, tem o maior minarete do mundo, que do alto dos seus 200 metros domina toda a cidade (12 €). Na segunda, perdemo-nos literalmente pelas ruas do souk. Fomos de táxi até à Mesquita (5 € por pessoa) numa viagem alucinante a começar pelo número de passageiros no mesmo carro, seis mais o condutor. Nos táxis de Casablanca cabe sempre mais um…

- Valência

Começamos a visita a Valência na parte nova da cidade reconstruída pelo arquiteto Santiago de Calatrava (que desenhou a Gare do Oriente em Lisboa), designada como Cidade das Artes e das Ciências. Na parte antiga, descobrimos uma cidade fervilhante com vários monumentos que vale a pena visitar. Optámos por ir de táxi até à Cidade das Artes e das Ciências (7 €), mas a MSC disponibilizava um serviço de shuttle até à cidade velha (10 € adultos, 7 € crianças).

- Marselha

A segunda maior cidade francesa, com o seu casario claro, é iluminada por uma luz forte que a torna muito particular. Começámos a visita pelo Porto Velho e depois deixámo-nos guiar pelos edifícios e pelas praças da cidade. A Cathédrale de la Major e a Notre Dame de La Garde são alguns dos pontos de interesse de uma das Capitais Europeias da Cultura deste ano. Para chegar, usámos o transfer disponibilizado pela MSC até ao centro da cidade (15 € adultos e 6 € crianças).

- Génova

O charme das suas ruas estreitas e a arquitetura grandiosa de muitos edifícios do centro histórico fazem de Génova uma cidade sedutora plantada em redor do Porto Antigo, onde se situa o seu famoso Aquário, um dos maiores da Europa. A Via Garibaldi é uma das ruas a percorrer, está repleta de palazzi, alguns são museus outros sedes de empresas, mas todos eles têm pátios incríveis. Usámos o transfer disponibilizado pela MSC até ao centro da cidade (15 € adultos e 6 € crianças).

A rota do MSC Preziosa

Até 3 de novembro de 2013, o MSC Preziosa terá Génova como porto- -base. É desta cidade italiana que parte para cruzeiros de oito dias no Mediterrâneo com escala em nápoles e Messina (Itália), Túnis (Tunísia), Barcelona (espanha) e Marselha (França).

Preços a partir de 695 € (inclui alojamento e alimentação). Até aos 18 anos, as crianças e jovens só pagam as taxas portuárias. As bebidas são pagas à parte uma a uma ou através de pacotes pré-pagos (desde 69 € por adulto, para um número limitado de bebidas às refeição durante o cruzeiro).

Texto: Rita Caetano

artigo do parceiro:

Comentários