Turismo bem regado

O vinho já superou o sol e o mar como produto mais associado à atividade turística em Portugal. As vindimas e as provas do precioso néctar estão a dinamizar um setor que está a aumentar a sua oferta

Vinho doce bebe-se como se nada fosse, diz um ditado popular antigo. Em setembro e outubro, meses de vindimas e de uvas por excelência, há um outro turismo a explorar. O enoturismo leva, cada vez mais, mais pessoas a trocar o sol pelas vinhas. Nos meses seguintes, é a prova do vinho a levar gente às adegas, apesar de no nosso país se desfrutar do preciso néctar em qualquer altura, seja dia ou seja noite, faça chuva ou faça sol. E pela primeira vez, o vinho superou o sol e o mar como produto mais associado à atividade turística em Portugal.

Este resultado, de acordo com um inquérito realizado a uma centena de membros da Organização Mundial do Turismo, faz com que os produtores estejam atentos à crescente importância do setor. Há, assim, cada vez mais projetos de enoturismo procurados por nacionais e estrangeiros e que permitem participar nas vindimas, fazer provas de vinho juntamente com a degustação de outros produtos regionais e ficar alojado em hotéis de luxo ou rurais sempre em contacto com a cultura do néctar dos deuses.

Vinhos, petiscos e azeites

Ao longo dos 1.600 hectares da Herdade do Sobroso, situada na Vidigueira, no Alentejo, a apenas nove quilómetros da barragem do Alqueva, tudo gira em volta do vinho e do turismo. Há provas simples com visita à vinha e à adega, mas também provas vínicas que incluem degustações de enchidos e queijos alentejanos e almoços de cozinha tradicional, onde por exemplo nunca pode faltar a açorda de cação e o javali com migas de espargos verdes e batatas. Há ainda um curso de iniciação à prova e um hotel cheio de charme para desfrutar.

Em Monsaraz, na Herdade do Esporão, encontra um dos enoturismos mais ativos do país que permite que os turistas participem nas vindimas de meados de agosto a meados de setembro, uma atividade que termina à mesa do restaurante para degustar o menu Vindimas. Mas pode ainda escolher entre fazer a visita às vinhas, adegas e caves com prova de vinhos e azeites ou juntar a este programa uma prova de petiscos alentejanos, almoço, lanche ou brunch.

Programas variados e originais

Para quem quer conhecer um pouco mais a herdade de 1.830 hectares e a fauna que a habita, pode optar pela visita Património Histórico e Natural da Herdade, pelo Passeio Avifauna com piquenique ou pelo Passeio de Birdwatching. Já a Torre de Palma Wine Hotel, uma das unidades de turismo mais recentes do Alentejo tem, na sua assinatura, o vinho, daí que não seja de estranhar que promova iniciativas associadas ao néctar dos deuses.  Jantares vínicos, ateliês de gastronomia e participação nas vindimas são um exemplo disso.

Localizado em Monfortinho, o Torre de Palma Wine Hotel inspira-se nas tradições e modo de vida alentejanos e tem um dos melhores pôr do sol de toda a região. Pode-se ainda fazer observação de pássaros e das estrelas. Ainda por terras alentejanas, a Herdade da Malhadinha Nova Country House & Spa, em Albernoa, faz visitas guiadas à adega com provas de vinho, mas a estas recomendamos juntar um passeio a pé ou de jipe. Para quem quiser pernoitar, a quinta tem um hotel, onde o design e a ruralidade andam de mãos dadas.

Provas e degustações

A Quinta do Pôpa é uma autêntica varanda para o Douro e para a sua paisagem arrebatadora. Por isso, a quinta convida a grandes passeios, piqueniques, refeições no terraço e, claro, visitas à adega, às caves e à garrafeira que termina sempre com uma prova dos vinhos produzidos na quinta. Está localizada no concelho de Tabuaço, em pleno Alto Douro Vinhateiro, classificado como Património Mundial da Humanidade. O edifício da Quinta de Lemos alberga a exclusiva guesthouse, só aberta para convidados.

É também lá que se situa o restaurante Mesa de Lemos e a sala de provas serpenteia pela paisagem vinhateira do Dão de forma irrepreensível, de tal maneira que esta obra arquitetónica foi finalista dos Archdaily, um dos mais importantes prémios de arquitetura a nível mundial. O restaurante está, desde maio, aberto às sextas e sábados, mediante marcação, para quem quiser provar as degustações preparadas pelos chef Diogo Rocha e pelos enólogos da quinta.

Veja na página seguinte: Propostas imperdíveis de norte a sul de Portugal

Comentários