Pacific Coast Highway

Provavelmente a estrada mais bonita do mundo

Há estradas míticas no Mundo, percursos que encerram uma beleza tal que por si só são uma viagem. Estas estradas atravessam vales perdidos nos Himalaias, desertos áridos na Austrália, parques naturais perdidos nos antípodas do planeta, caminhos de terra que atravessam a savana ladeando vulcões, estradas ziguezagueantes pelas montanhas mais remotas ou ao longo de rios indomáveis. Uma dessas estradas que é uma verdadeira Meca para os viajantes que aspiram a palmilhar o mundo todo, é a Pacific Coast Highway, que percorre a costa da Califórnia.

Os extremos desta estrada de sonho são Dana Point, em Orange County, a sul de Los Angeles, e Leggett, em Mendocino County, a norte da Bay Area de San Francisco. Ainda assim, a parte mais interessante fica entre Santa Barbara e Monterey. É por aí que vamos, na senda da beleza cénica que esta rota à beira-mar oferece a quem a trilha.


Esta é uma estrada que deve ser feita com um de três meios de transporte, em função do estilo da pessoa que a faz e da motivação da viagem: mota, carro descapotável ou auto-caravana, que nos Estados Unidos dá pelo nome de RV (Recreational Vehicle) ou Motor Home. Só num destes três veículos é que a viagem se aproveita na sua plenitude, se os viajantes forem sozinhos, em casal, ou em família. Fazer a viagem num RV é ideal para famílias, mesmo para aquelas que não apreciam este tipo de transporte e de estilo deviagem. Mas ali, naquela estrada, vale a pena como experiência, ainda que seja a única vez que o façam. E as crianças garantidamente vão adorar, imaginem o que é para os pequenos passar uns dias numa casa com rodas?

Mas comecemos, saindo de Santa Barbara, cidade tradicional de veraneio para os californianos, que a chamam de “American Riviera”. Aqui vale a pena deixar-se imergir na surf culture da cidade e sentir o estilo de vida local, visitando também a Mission Santa Barbara, uma das primeiras missões religiosas na Califórnia, fundada em 1786. Saindo de Santa Barbara é possível fazer um pequeno desvio par air ver outra Santa, desta vez Santa Ynez, que tem um vale vinícola com o seu nome onde se produzem bons vinhos. Foi um dos cenários do filme Sideways, e a visita vale também pela beleza dos vinhedos.

Continuando para norte, a highway passa por Pismo Beach e San Luis Obispo antes de chegar a uma paragem obrigatória, o Hearst Castle. Este “castelo” foi construído entre 1917 e 1947 pelo multimilionário William Randolph Hearst, que se diz ter sido a personagem real inspiradora do protagonista do filme Citizen Kane de Orson Wells. Foi edificado num estilo sem estilo que é um pastiche de várias memórias recolhidas por Hearst nas suas viagens pela Europa. O resultado é algo louco, um misto de Hollywood e Disney, como só um rico Americano faria. Pela sua excentricidade vale bem uma paragem a caminho do norte.

O caminho para norte atinge em seguida uma barreira montanhosa que avisa da chegada a Big Sur. A costa aqui ganha uma incomparável beleza e dramatismo, atingindo a sua parcela mais fascinante. As praias abertas cheias de morsas e leões marinhos, dão lugar a pequenas enseadas castigadas pelas ondas e escondidas por entre os penhascos.  Essas "coves" são afastadas do asfalto, que segue a mais de 100 metros de altura e distância vertical, empurrado pelas montanhas de Santa Lucia, que se erguem abruptamente do Pacífico, cobertas por um manto verde de coníferas, que protege dos olhares alheios casas milionárias debruçadas sobre o azul infinito. Big Sur, o grande Sul, nome de origem espanhola, é desde há décadas um refúgio de ricos e famosos mas também de artistas plásticos e escritores, que ali se radicaram e radicam para criar ou apenas para se isolarem do mundo naquele cenário natural impressionante. Entre eles contam-se Henry Miller, Jack Kerouac, Rita Hayworth, além de muitos outros que ajudaram a fazer esta uma Califórnia muito esotérica e pura. 
Um pouco mais a norte, outra povoação rivaliza em protagonismo mediático discreto com Big Sur, Carmel by-the-sea, um local que destila Californian mood como poucos. A cidade, que teve Clint Eastwood como mayor, é uma sedutora colónia residencial e de veraneio que conseguiu manter um ambiente de tranquilidade e charme que não existe em muitos locais dos Estados Unidos. Aqui respira-se uma feliz combinação de sofisticação do Velho Mundo e de mood californiano, feito de descontração e de um estilo de vida mais natural e alternativo. Carmel tem um centro de pequena aldeia, recheado de lojas paratodos os gostos e excelentes restaurantes, a dois passos do qual uma praia oferece ondas perfeitas para surfistas que aqui vivem todo o ano e para tantos outros que vêm de visita.
Apesar de a Pacific Coast Highway ter no surf o seu desporto de eleiç?o, existe um outro que aqui tem um dos mais importantes locais de prática a nível mundial, o golf. Esse oásis dá pelo nome de Pebble Beach e fica ente Carmel e Monterey. Aqui, num cenário idílico, existem 8 campos de golf de nível mundial, que recebem regularmente as mais importantes provas do curcuito profissional, nomeadamente o US Open, que aqui foi disputado por cinco vezes nos últimos 40 anos. 
Os links de Pebble Beach antecedem a chegada a Monterey, o final desta viagem pela costa Californiana. A cidade que tem no aquário o seu maior, ainda que não único, ponto de interesse, não é na verdade um fim mas sim um início de mais viagens, seja para norte até San Francisco e Napa Valley, seja para Sudeste na direção dos incríveis parques nacionais de Yosemite e Sequoia. Ambos os trajetos prometem estradas cénicas que rivalizam com a Pacific Coast Highway, ainda que não a consigam destronar da posição de estrada mais bonita do país.

artigo do parceiro:

Comentários