Os amantes dos livros nunca vão para a cama sozinhos

O Library Hotel em Nova Iorque tem mais de 6.000 obras à disposição dos hóspedes (fotos)

Os amantes dos livros nunca vão para a cama sozinhos. A frase está bordada nas almofadas que decoram os quartos do Library Hotel em Nova Iorque. A afirmação ilustra na perfeição o conceito que está subjacente a esta unidade hoteleira localizada bem no centro de Manhattan, na confluência da Madison Avenue com a East 41st Street.

A um quarteirão da emblemática Grand Central Station (o principal interface rodoviário da cidade) e a poucos passos da Biblioteca Nacional dos EUA (The National Library), o hotel está localizado mesmo ao lado da Library Way, a versão nova-iorquina do Passeio da Fama de Hollywood, onde placas com palavras de poetas substituem as estrelas com os nomes das maiores celebridades internacionais.

Os amantes das letras e da literatura têm aqui o seu paraíso na terra. As características desta unidade hoteleira de quatro estrelas fazem dela o cenário perfeito para qualquer devorador de livros. As primeiras impressões de quem pernoita nesta unidade hoteleira não podiam ser melhores. Não é à toa que ocupa regularmente o quarto lugar do Índice de Popularidade do TripAdvisor (o principal site de classificação de hotéis) numa lista de 433 hotéis.


Lombadas a perder de vista

Logo no primeiro contacto, o Library Hotel acolhe os seus hóspedes numa receção forrada com estantes repletas de livros. É impossível não nos perdermos nas centenas de coloridas e atrativas lombadas. Folhear alguns dos livros que estão à disposição dos clientes é mais do que tentador. É completamente irresistível!

A simpática e atenta equipa da receção esclarece ainda que, para além dos livros, à boa maneira das bibliotecas, os hóspedes podem ainda requisitar, para uma sessão de cinema no quarto, um dos múltiplos títulos que se encontram disponíveis na biblioteca de DVD do hotel, que reúne os 100 principais filmes do século XX, segundo a lista elaborada pelo American Film Institute.

Concluído o registo, somos conduzidos um dos 60 quartos dos existentes, distribuídos pelos 10 andares do hotel, cada um deles batizado em função das 10 principais categorias do
Sistema Decimal Dewey. Desenvolvido por Melvil Dewey, este sistema de classificação documental é comummente utilizado em bibliotecas públicas em todo o mundo e é também segundo ele que o hotel mantém organizados os mais de 6.000 livros que tem à disposição dos hóspedes.

O elenco de nomenclaturas inclui temáticas como as artes, a filosofia, a religião, as ciências sociais, as línguas, a literatura, a matemática e as ciências, o conhecimento geral e a tecnologia. À saída do elevador, em cada um dos andares, um projetor faz refletir na parede o nome da categoria que rege e identifica cada um dos pisos, conferindo um toque de modernidade à decoração do espaço.

Decoração sóbria e elegante

A decoração do hotel é tendencialmente sóbria e elegante. Os quartos estão decorados com mobiliário de madeira com um design contemporâneo complementados com tecidos elegantes. Sobre a cama, há almofadas com dizeres, como a que garante que «Os amantes dos livros nunca vão para a cama sozinhos». «Book lovers never go to bed alone» no original. Mesmo que pernoite no quarto sozinha, a companhia está, por isso, mais do que garantida.

Ao longo das paredes, sempre abaixo do nível das grandes janelas com vista para uma das mais movimentadas artérias da cidade, existem estantes, repletas de livros que exploram um assuntos distintos dentro da categoria a que pertencem. Para compor o ambiente, tendencialmente intimista, do rádio ligado quando se chega ao quarto insinua-se o jazz tão característico dos clubes de Nova Iorque.

Degustações com sabor a literatura

É difícil não folhear, pelo menos, alguns dos livros na companhia da música, dos chocolates belgas que esperam os hóspedes no quarto e das imagens dos grandes arranha-céus da cidade que quase entram pelas janelas do quarto adentro.

Mas os apelos do Hotel Library não se ficam por aqui. Todos os dias, entre as 17 e as 20 horas, na sedutora sala de leitura localizada no segundo piso, é servida uma seleção de vinhos, queijos, pão fresco, bolachas, biscoitos e frutas, para saborear gratuitamente.

Também esta divisão, como o próprio nome sugere, está repleta de estantes com livros prontos a ser manuseados e lidos enquanto se saboreia as delícias nacionais e estrangeiras que aí são disponibilizadas. Os hóspedes do hotel têm acesso à sala de leitura 24 horas por dia. Podem, por isso, a qualquer hora, usufruir de uma seleção de bebidas quentes, também elas gratuitas, para além de uma vista magnífica para a Madison Avenue.

Quem não gosta de livros tem também aí sempre à disposição jornais e revistas. É ainda na biblioteca do hotel que, diariamente, é servido um buffet de pequeno-almoço que inclui ovos cozidos, iogurtes, papas de aveia quentes, uma seleção de cereais frios, folhados doces sortidos, scones, queques e pãezinhos, manteiga, queijo fresco, manteiga de amendoim e geleias, frutas e salada de frutas frescas, uma seleção de cafés, chás e sumos.

Não deixe de provar os bagels de alho com manteiga e os bagels de canela. Os hóspedes com um apetite matinal mais contido podem ficar-se pelo pequeno-almoço continental, incluído no preço do quarto.

A lista de serviços disponibilizados pela unidade hoteleira inclui ainda ligação à internet de alta velocidade com e sem fios em todo o hotel, acesso à rede de ginásios da cadeia New York Sports Club em Manhattan e ainda um serviço noturno de oferta de garrafas de água e chocolates belgas, entre outras mordomias.

Relaxar no jardim que homenageia a poesia

Quem gosta de descontrair depois de um dia de passeios turísticos numa grande cidade, tem de subir à cobertura do décimo-quarto piso do hotel, onde está localizado o Writer's Den, o cantinho do escritor, um dos cenários perfeitos para um momento de leitura e de descanso, tal como o Poetry Garden, um jardim com um terraço dedicado à poesia que, durante o dia, serve de oásis relaxante, oferecendo fabulosas vistas da icónica arquitetura nova-iorquina.

Nos dias de maior frio, aconchegue-se junto à lareira ou leia um livro na estufa. À noite, o piso transforma-se no Salão Bookmarks, um bar íntimo na cobertura que é também um lugar de entretenimento moderno que serve cocktails inspirados na literatura. Este é um dos espaços do hotel a descobrir tranquilamente, como sucede com o Restaurante Madison & Vine, bistrô americano e bar de vinhos internacionais.

Localizado no rés-do-chão, serve almoços e jantares sete dias por semana, mas também se encontram disponíveis seleções para refeições no quarto das 11h30 às 23h. Nas imediações do Library Hotel, além da Biblioteca Pública de Nova Iorque, pode visitar o luxuoso centro comercial da Quinta Avenida, bem como as lojas das grandes marcas internacionais que lá se encontram. O Bryant Park, o Empire State Building, Times Square e o Rockefeller Center são outras das atrações turísticas de fácil acesso a partir desta unidade hoteleira.

Os preços por noite variam consoante o tipo de quarto pretendido.Todas as habitações estão equipadas e decoradas com objetos que fazem parte de uma coleção de arte privada. Os Quartos Petite, os mais pequenos e aconchegantes, custam a partir de 248 dólares (187 €).

Os Quartos Deluxe são maiores e ligeiramente mais caros. As Suites Junior são perfeitas para grupos de três pessoas. O mais caro e mais exclusivo é, contudo, o Quarto Love, que inclui o único terraço privado do hotel ao longo da Madison Avenue e que pode custar até 535 dólares por noite (404 €).

Este quarto, destinado sobretudo a casais, tem vista direta para a Biblioteca Pública de Nova Iorque e para a característica linha do horizonte da cidade. Com arte e livros baseados na filosofia do amor, possui uma coleção de livros selecionada pelo famosa Drª. Ruth Westheimer, conhecida devido à forma liberal e descomplexada com que aborda a sexualidade humana. Neste hotel, os amantes dos livros nunca vão para a cama sozinhos e, neste quarto, à partida, ainda menos.

artigo do parceiro:

Comentários