Mergulhar com segurança

Precauções a ter com uma das modalidades mais apetecíveis nas férias

Antes de mais é preciso saber que tipo de mergulho quer fazer. Genericamente, existem dois tipos. Existe em apneia (apenas com o ar que gerimos com manobras ventilatórias) ou SCUBA (Self-Contained Underwater Breathing Apparatus, com botijas de gás pressurizado).

Qualquer uma destas formas de interação com a água deve ser segura para pessoas saudáveis, sempre dependendo do nível de dificuldade e profundidade do mergulho.

O mergulho em apneia é o mais simples e qualquer um pode praticá-lo com conselhos de especialistas. O SCUBA, não sendo complicado, requer a ajuda e acompanhamento de técnicos especializados, pois quer o manuseamento do material quer o domínio da técnica e da fisiologia básicas exigem conhecimentos precisos e bem interiorizados.

O primeiro e mais importante conselho será fazer um curso de iniciação o mergulho. Existem inúmeras instituições que organizam cursos e com horário pós-laboral. A viagem poderá já incluir um pequeno curso intensivo de iniciação, no entanto, a melhor estratégia seria fazer o curso em Portugal.

A condição física necessária

Do ponto de vista físico, basta apenas apresentar uma boa capacidade aeróbia, força concêntrica nos membros inferiores e conseguir mergulhar em apneia quer na piscina quer no mar (se quer começar com este mergulho e não está habituado, faça-o sempre com um colega experimentado). Do ponto de vista técnico, é importante saber nadar/mergulhar com barbatanas de mergulho, treinando primeiro na piscina e depois no mar.

Comentários