Liubliana, uma cidade de contos de fadas

A Eslovénia é o último dos paraísos perdidos do velho continente, onde ainda se vive a um ritmo bucólico, quase pachorrento, que lhe confere um charme muito particular.

A Eslovénia é um encantador país encaixado entre a Croácia, a Itália e a Aústria. Com pouco mais de uma dezena de quilómetros de costa, a Eslovénia tem nas montanhas o seu principal atributo, oferecendo fascinantes paisagens onde os picos alpinos decoram o cenário em conjunto com lagos, rios e florestas a perder de vista.

É um país diferente dos seus congéneres, dir-se-ia o último dos paraísos perdidos do velho continente, uma versão europeia de Shangri-La, onde ainda se vive a um ritmo bucólico, quase pachorrento, o que lhe confere um charme muito particular.

A capital deste mundo de contos de fadas é Liubliana, uma cidade feita à escala de bonecas do país. Na capital eslovena tudo é mini, como se se tratasse de um parque temático, criado para mostrar a vida numa cidade imaginária onde tudo é perfeito. Como não podia deixar de ser, existe um rio, um castelo, palácios, pontes ricamente decoradas, praças floridas e um sem número de características que fazem de Liubliana um cenário digno da Disney. Se de repente uma carruagem puxada a cavalos chegasse com a Cinderela lá dentro a surpresa não seria total, tal é o mood de fantasia em que a cidade coloca os seus visitantes.

Em Liubliana o antigo e o moderno encontram-se e formam um cenário harmonioso onde os vestígios dos períodos arquitectónicos do passado ainda estão presentes. Desde a Emona Romana à Renascença, passando pelo período Barroco, Art Nouveau e Romântico, presente nas inúmeras pontes que atravessam o bucólico rio Ljubjanica. Na verdade, apesar de Liubliana ser pequena, tem vários cursos de água a percorrê-la além do principal que leva quase o nome da cidade. Entre eles contam-se o Sava, o Mali Graben, o Iska e o Gradascica, o que faz dela uma Veneza dos Alpes.   

A primeira sensação que se tem ao chegar a Liubliana é de que se trata de uma cidade muito jovem, cheia de vida e alegria. Os 50.000 estudantes (cerca de 20% da população) que lá vivem asseguram que não se trata apenas de uma sensação mas sim de uma realidade. As ruas do centro histórico estão recheadas de cafés e esplanadas que se enchem de juventude na proporção dos raios de sol que despontam sobre as montanhas que rodeiam a capital eslovena. As ruas que ladeiam o pequeno rio que atravessa a cidade são especialmente encantadoras e merecem um passeio e uma paragem para um vinho quente no inverno ou um copo de vinho branco esloveno quando o calor aperta. Liubliana é chama de “cidade do vinho e da vinha”, o que denuncia a sua natureza eno-gastronómica.

Seja para uma visita cultural dedicada ou como ponto de passagem a caminho de uma das capitais vizinhas ou como base para descobrir a Eslovénia, Liubliana é uma cidade deliciosa de se conhecer pela sua essência tranquila e a vida descontraída e quase anacrónica que oferece. Apesar de não se prever um desenvolvimento desenfreado que estrague a sua paz, quanto mais depressa a forem visitar mais a encontrarão como é hoje, a mais aldeana das capitais europeias.


Miguel Júdice

artigo do parceiro:

Comentários