Férias seguras

Os conselhos e o exemplo do médico especialista em infecciologia e medicina tropical Jorge Atouguia

Em época de férias há cuidados que não devem ser dispensados para que garanta o seu bem-estar e saúde.

A pensar nisso, falamos com médico especialista em infecciologia e medicina tropical Jorge Atouguia que nos contou que cuidados têm nas suas férias ao nível das viagens, prevenção, vestuária, alimentação e medicamentos para conseguir ter umas férias seguras e sem stress. Siga os seus exemplos:

- Cuidados a ter em viagem

«Já visitei vários destinos tropicais, dos quais o mais difícil terá sido a zona rural de Angola. O facto de ser especialista em doenças tropicais e infecciosas e contactar com a incidência destas doenças deu-me a base teórica e prática para as prevenir. Felizmente, só tive doenças ligeiras, relacionadas com o tubo digestivo e com alterações intestinais», conta o médico.

- Não descure a prevenção

«Faço a consulta do viajante a mim próprio. Revejo as vacinas obrigatórias e tomo precauções adicionais nos países asiáticos com risco de dengue e malária e na África. Penso nas atividades que vou fazer, analiso os riscos no contacto com as pessoas e tento minimizá-los planeando o meu dia a dia. Descontrair demasiado e achar que se está à vontade, torna-nos mais suscetíveis aos riscos», refere o especialista.

- Os cuidados a ter com o vestuário

«Para me proteger do calor e dos insetos, levo sempre na bagagem camisas de manga comprida para proteger os braços das picadas e calças (nunca calções). Uso ténis ou botas com meias, chapéu de abas e aplico repelente nos colarinhos, punhos e na bainha das calças», afirma Jorge Atouguia.

- Alimentação

«Não como alimentos crus ou mal cozinhados, não bebo água da torneira nem gelo e só como fruta descascada por mim. Tento certificar-me da frescura dos alimentos, em especial das proteínas, e carrego alguns snacks para não passar muitas horas sem comer e depois sucumbir à tentação. A fome apaga-nos o critério», conta o médico especialista em infecciologia e medicina tropical.

- Medicamentos

«Para além dos que uso por rotina, levo um medicamento para a prevenção da malária, paracetamol (sobretudo se existir risco de dengue), medicação para o estômago, um antibiótico contra a diarreia e outro para infeções respiratórias superiores», acrescenta o especialista.

- Sem stresse

«Pouca bagagem, uns óculos de reserva (se os perder no meio do mato não tenho alternativa) e um tablet com ebooks são condições essenciais ao meu descanso», conclui Jorge Atouguia.



artigo do parceiro:

Comentários