Lisboa tem um novo conceito de alojamento que alia a arte ao turismo

Não é um hotel, nem uma galeria, uma loja, um bar ou apenas mais um restaurante mas, sim, um espaço inovador que concentra todas estas valências num só lugar. Abre a 1 de junho no Chiado.

É o sonho de um casal de franceses e demorou dois anos a concretizar, representando um investimento próximo dos dois milhões de euros. No espaço ocupado pela Embaixada do Brasil durante 104 anos, no número 22 da Praça Luís de Camões, em Lisboa, abre oficialmente, a partir de 1 de junho, Le Consulat, um inovador e luxuoso serviço de alojamento local com suites e apartamentos, uma galeria, uma loja, um bar e um restaurante.

«Não somos um hotel. Somos um novo conceito no último grande spot do Chiado», justificou esta manhã, numa apresentação à imprensa, François Blot, um dos sócios do projeto, juntamente com Valérie Guérend, a companheira. Apesar da inauguração oficial estar marcada para o final da tarde de hoje, muitas das valências só estarão operacionais nas próximas semanas.

No entanto, o bar e a exposição da galeria, no piso social do empreendimento, que ocupa uma área de 2.200 metros quadrados, passam a estar abertos ao público a partir de amanhã. A mostra coletiva «Panorama 2017», coordenada por Adelaide Ginga, curadora de arte contemporânea e historiadora, integra 88 obras de 14 artistas emergentes e está patente ao público até 25 de agosto.

Lisboa tem um novo conceito de alojamento que alia a arte ao turismo

Texto: Luis Batista Gonçalves

artigo do parceiro:

Comentários