Lisboa à frente de Madrid e Nova Iorque no ranking das cidades com mais qualidade de vida

Lisboa desce um lugar relativamente ao ano passado, estando na 43ª posição do ranking mundial das cidades com mais qualidade de vida. Viena ocupa pelo oitavo ano consecutivo a primeira posição do pódio. Bagdade é a pior cidade do mundo para se viver.

Apesar do aumento da volatilidade política e financeira na Europa, muitas das suas cidades oferecem o maior nível de qualidade de vida do mundo, mantendo-se como destino atrativo para empresas  e para o acolhimento de pessoas em missões internacionais, frisa o 19º estudo anual Quality of Living da Mercer.

A infraestrutura de uma cidade, item que foi classificado separadamente este ano, assume um papel importantíssimo no momento das multinacionais escolherem para onde querem expandir as suas operações e enviar os seus colaboradores. O fácil acesso à rede de transportes, serviços de energia fiáveis e água potável são fatores importantes quando as empresas têm que apurar os custos das políticas de mobilidade internacional.

“A instabilidade económica, a insegurança social e a crescente turbulência política são elementos que dificultam ainda mais o difícil desafio que as empresas multinacionais enfrentam quando analisam a qualidade de vida da sua força de trabalho expatriada”, refere Diogo Alarcão, CEO da Mercer Portugal. “Para as multinacionais e para os governos é essencial que toda esta informação referente à qualidade de vida seja objetiva, detalhada e fiável. Não só permite às empresas definirem políticas de compensação adequadas, como fazer uma análise do ambiente que os expatriados vão encontrar nas cidades de destino” conclui.

“Em períodos de maior incerteza, as organizações que planeiam estabelecer-se ou enviar colaboradores para um novo local devem garantir que conhecem toda a informação e o contexto da cidade, incluindo a sua viabilidade enquanto local de negócios e o nível de atratividade para o talento crítico da organização”, acrescenta Diogo Alarcão.

O top 10 (veja na galeria em cima)

Viena ocupa o primeiro lugar da tabela das cidades com melhor qualidade de vida pelo 8º ano consecutivo, sendo que o restante top 10 é maioritariamente ocupado por cidades europeias: Zurique (2º lugar), Munique (4º lugar), Dusseldorf (6º lugar), Frankfurt (7º lugar), Genebra (8º lugar), Copenhaga (9º lugar), e Basileia, um estreante na lista, em 10º lugar. As únicas cidades não europeias neste Top 10 são Auckland (3º lugar) e Vancouver (5º lugar). As cidades mais bem classificadas da Ásia e da América Latina são Singapura (25º lugar) e Montevidéu (79º lugar), respetivamente.

O estudo da Mercer deste ano inclui ainda uma tabela de classificação da infra-estrutura de cada cidade, que avalia o fornecimento de eletricidade, de água potável, de serviços de telecomunicações, de transportes públicos, tráfego e congestionamento automóvel, bem como a variedade de voos internacionais a partir dos aeroportos locais.

Comentários