Feira da Música de Beja em outubro com concertos de 28 grupos e músicos

Concertos, alguns por ruas, de 28 grupos e músicos, como os portugueses Vigem Suta e os britânicos Antimatter, cinema, "workshops", palestras e exposições vão marcar a 2.ª Feira da Música de Beja, entre 01 e 04 de outubro.
créditos: PixaBay

A feira, promovida pela Zarcos - Associação de Músicos de Beja, vai decorrer na Casa da Cultura, o "palco" de todas as atividades e da maioria dos concertos, sendo que alguns irão realizar-se por ruas e em outros locais públicos da cidade.

Segundo a Zarcos, num comunicado enviado à agência Lusa, a "banda sonora" do primeiro dia da feira, 01 de outubro, para assinalar o Dia Mundial da Música, vai incluir três concertos "pela rua", um do músico Paulo Colaço, no Bairro N. Sra. da Conceição, um da banda Virgem Suta, no Terreirinho das Peças, e outro do Grupo Coral As Rosinhas de Sta. Clara do Louredo, no Bairro da Esperança.

O primeiro dia da feira vai incluir também um concerto de Paulo Colaço e a Moda Paca, a estreia do músico em formato banda, e outro da banda Eterna Saudade, na Casa da Cultura.

No segundo dia, 02 de outubro, na Casa da Cultura, irão atuar Coclea, Manuel João Vieira, Clara Venice, Associação Portuguesa de Didgeridoo e A foice e, pela primeira vez juntos em palco, os portugueses Vítor Rua e JP Simões e o britânico Chris Cutler.

Segue-se, no terceiro dia, 03 de outubro, outro "concerto pela rua" do Grupo Coral As Rosinhas de Sta. Clara do Louredo, no mercado municipal, e os concertos de The Sitar Experience, Gonçalo Neto Trio, Mick Moss, Villain Outbreak, The Dirty Coal Train, Miss Lava, Antimatter e Ho-Chi-Minh e uma sessão do Dj Billy, na Casa da Cultura.

No quarto e último dia, 04 de outubro, vão atuar Hand Pan & Didgeridoo, no Jardim Público, e a Academia de Música Clave do Sul, Sadmad Dog, Stonehag, t.204, The Tape e Chá de Empilhadora, na Casa da Cultura.

Na vertente educativa e informativa, a feira vai incluir um ateliê de música para crianças, uma demonstração de instrumentos tradicionais portugueses, uma palestra sobre os 25 anos da banda Censurados, "workshops" de "didgeridoo", cavaquinho, técnicas de som ao vivo, fotografia de espetáculo e improvisação total e instrumentos invisíveis.

Na área do cinema, vão ser exibidos os documentários "Bastardos, Trajetos do Punk Português (1977-2014)", dos realizadores Andy Bennet, Eduardo Morais e Paula Guerra, e "Until The Light Takes Us", dos realizadores Aaron Aites e Audrey Ewell, sobre as origens do "balck metal" norueguês, no dia 02, e "Terra Pesada", da realizadora norte-americana Leslie Bornstein, sobre os jovens músicos de "heavy metal" em Moçambique, no dia 04.

Durante a feira, vão estar patentes, na Casa da Cultura, as exposições "Em palco a preto e branco", com fotografias de Rodrigo Serra, e "Liturgia do delírio (e outros desenhos)", de Esgar Acelerado, e "Música Tradicional Alentejana".

artigo do parceiro: Nuno Noronha

Comentários