Retidas no aeroporto por causa dos rostos disformes

Três mulheres chinesas foram fazer operações plásticas à Coreia do Sul e, depois, foram bloqueadas pelas autoridades da aerogare porque as fotografias do passaporte não coincidiam.

Não é uma anedota mas não deixa de ser anedótico. Três chinesas que foram fazer operações plásticas à Coreia do Sul ficaram retidas no aeroporto porque as fotografias do passaporte não coincidiam com os rostos disformes com ligaduras com que se apresentaram às autoridades no momento de embarcar para regressar ao país de origem. Um dos passageiros presentes no local fotografou o episódio, que se tornou viral num ápice.

As clínicas de cirurgia estética sul-coreanas, conhecidas pelo seu profissionalismo e pelas avançadas técnicas que utilizam, atraem anualmente milhares de asiáticos a este país. Muitos limitam-se apenas a uma rinoplastia, um lifting ou uma injeção de botox mas também há quem altere todo o rosto. Nestas situações, a maioria das clínicas passa um certificado ao paciente que atesta a sua identidade perante as autoridades.

artigo do parceiro:

Comentários