Varanda com jardim mais moderna e funcional

Como tornar o seu espaço num local sofisticado, mais moderno e minimalista diminuindo encargos com a manutenção quer da vegetação quer dos materiais utilizados.

Com o passar do tempo, a mudança surge como uma necessidade e com esta o desejo de renovação, de atualização. Foi o que sentiram os proprietários de um andar em Lisboa, com uma varanda virada a sul com cerca de 55 m2 de área. De estilo rústico, desde o pavimento em tijoleira, aos vasos em terracota e à vegetação os proprietários, juntamente com a arquiteta Rita Vaz Freire, responsável pela remodelação dos interiores do apartamento, pretendiam agora um espaço mais moderno.

E também mais claro e minimalista, diminuindo os encargos com a manutenção a nível da vegetação e dos materiais utilizados. Este projeto de remodelação surge, assim, como uma resposta às referidas necessidades e resultou de um diálogo constante entre os projetistas e os clientes. Trata-se de uma varanda muito comprida e relativamente estreita que percorre várias divisões da casa, com abrangência nas extremidades dos quartos, na zona central as salas de estar e de jantar.

Aproveitou-se, então, a disposição da casa para destacar a parte central e mais larga da varanda que se manteve como zona de refeições da família. Saiba o que foi feito:

- Ambiente mais organizado

As primeiras intervenções passaram pela pintura das paredes e do próprio teto em tons claros, a eliminação dos vasos em barro, e a colocação de deck em madeira compósito sobre o pavimento existente. Com estas intervenções a varanda ficou desde logo mais confortável e com um design mais moderno. Em relação à disposição da vegetação, a principal intenção foi a de criar em cada recorte da varanda e, em frente a cada janela, zonas verdes que cobrissem os muros e servissem de paisagem para o interior do apartamento.

A concentração da vegetação nesses locais, teve como objetivo proporcionar um ambiente mais organizado, que permitisse uma leitura mais simples/clean do que a previamente existente. Para decorar a área central, que é mais larga e com os muros mais altos optou-se por floreiras em chapa galvanizada. No limite das salas de estar e de jantar colocaram-se também duas floreiras de modo a enquadrar a zona de refeições, e uma outra cuja vegetação encobriria a antena parabólica.

A cor escolhida para as floreiras foi um tom de castanho que conjugasse bem com a cor do deck e das madeiras já existentes na varanda, na pérgola e nas treliças. Com isso, pretendeu-se esbater a diferença entre o deck e as floreiras de modo a criar a sensação de que a vegetação emerge do próprio pavimento. Essa foi uma das preocupações estéticas que norteou a elaboração do projecto de reconversão daquele espaço.

Veja na página seguinte: A vegetação usada para um resultado mais simétrico

Comentários