Decoração eco-friendly

Mude o aspeto da sua casa sem custos e protegendo o meio ambiente

Nos últimos anos, temos feito um esforço para tornar o nosso relacionamento com o meio ambiente mais harmonioso e saudável. Ter uma atitude ecológica em casa é bom, recomenda-se e não custa quase nada.

Pôr em prática atitudes ecológicas, desde sempre tão maltratado, é uma tentativa para reparar alguns danos e prevenir outros. E, além disso, ajuda a poupar em algumas despesas diárias.

«Cada vez mais a sustentabilidade é a tendência para vivermos de uma forma responsável, sem comprometer as futuras gerações, utilizando os recursos naturais», confirma Lígia Casanova, recentemente agraciada (pelo terceiro ano consecutivo) com um Silver no International Interior Design Award.

Há quem opte por aderir aos carros híbridos, instalar painéis solares, mas há quem vá mais longe no conceito eco-living e construa casas à medida, inteiramente fabricadas com materiais naturais e ecológicos. As possibilidades são muitas e, ao contrário do que possa imaginar, não requer grande investimento e nem obriga à adoção de soluções desconfortáveis e minimalistas.

A importância dos detalhes

Segundo a designer uma das fundadoras da Bombaamor e atitude eco-friendly em casa é contribuir de um equilíbrio entre criar, desenhar, produzir, consumir e viver uma vida alegre e saudável». E, no que diz respeito à decoração, aponta dois detalhes frequentemente esquecidos que podem ajudar a tornar uma casa mais amiga do ambiente: os materiais e os acabamentos.

Em relação aos materiais, os naturais, como a madeira (de origem controlada, sustentável), o ferro, a lã ou a pedra são melhores para o ambiente. Não poluentes, usam pouca energia para serem transformados, são recicláveis e biodegradáveis. Por outro lado, grande parte dos acabamentos do mobiliário e revestimentos de pavimento e paredes são prejudiciais não só para o ambiente como para a saúde.

A melhor opção são os acabamentos ecológicos, isentos de componentes orgânicos voláteis ou químicos de síntese (como é o caso da marca Osmo). Contribuem para um ambiente mais saudável, deixando o ar no interior mais puro. Com ambientes cada vez mais herméticos, a escolha errada dos acabamentos pode implicar riscos acrescidos para quem sofre de doenças respiratórias e de pele.

Torne a sua casa eco-friendly

Siga os conselhos da designer Lígia Casanova para ter um lar ecológico e mais ecnonómico:

- Iluminação

A luz natural é um fator muito importante para poupar energia. Para evitar que o interior aqueça de mais, é aconselhável a utilização de películas para os vidros das fachadas.

- Painéis solares

São uma solução amiga do ambiente (não poluente) e cada vez mais económica, uma vez que convertem a energia da luz do sol em energia elétrica e o seu custo é cada vez mais baixo.

- Eletrodomésticos certificados

Além de ajudar o planeta, ajudará o seu próprio bolso.

- Uso racional da água

Adote como as torneiras temporizadas e as caixas acopladas nas retretes. Além disso, aproveite as águas fluviais.

- Lâmpadas fluorescentes

Se cada família substituir uma lâmpada regular por uma fluorescente compacta, a redução da poluição será equivalente à eliminação de um milhão de carros das estradas.

- Recicle o lixo

No caso do vidro, reduz a poluição do ar em 20% e a poluição da água em 50%. Se não for reciclado, pode demorar um milhão de anos para se decompor no meio ambiente.

- Banhos mais curtos

Tenha atenção à duração dos banhos porque cada dois minutos a menos no duche ou na banheira significa uma economia de mais de 37 litros de água. Secar ao ar livre

- Seque a roupa na rua (em vez de usar a máquina)

Não só ajuda a manter as peças, como a economizar energia e ainda ajuda o meio ambiente.

- Jardim ecológico

Regue as plantas no início da manhã para aproveitar a humidade antes que esta se evapore. Se tiver ervas daninhas, o melhor pesticida ecológico é o vinagre.

8 parâmetro ecológicos a ter sempre em conta

Para avaliar se um produto é ou nao eco-friendy, deve ter em conta vários aspetos:

1. Reciclável
No final do ciclo de vida do produto, este pode ser uma fonte de nova matéria-prima. É o caso do vidro e do papel.

2. Reciclado
Todos os materiais ou produtos fora de uso aos quais se dá uma nova utilização.

3. Biodegradável
Matérias e produtos que se decompõem quando deitados à terra.

4. Sem tóxicos
Materiais fabricados sem químicos e de cultivo ecológico.

5. Baixo consumo energético
Os candeeiros com lâmpadas LED consomem até menos 85% de energia e duram cerca de 15 vezes mais.

6. Gestão dos recursos
Permitir que os recursos naturais se regenerem, como a madeira proveniente de uma floresta ou utilizar desperdícios.

7. Origem local
Além de promover a produção e indústria local, evita os transportes, consumindo menos energia e reduz materiais de embalagem.

8. Comércio justo
Produtos fabricados com garantia de boas condições de trabalho, com remuneração justa e de acordo com as leis de direito do trabalho da UE.

Texto: Inês Pradel com Lígia Casanova (designer) e Magda Alves Pereira (designer)

artigo do parceiro:

Comentários