Cuidar de orquídeas sem as danificar

A poda e o transplante desta espécie botânica muito apreciada em todo o mundo exige cuidados especais. Saiba como o deve fazer para não danificar a sua planta

Se existem plantas que muitas pessoas têm dificuldade em manter em casa, as orquídeas são uma delas. Há quem as regue de mais, quem as regue de menos e ainda quem não saiba muito bem como proceder com elas, como sucede com Carmen Tavares, uma assistente administrativa da região de Penafiel. «Necessito da vossa ajuda para cuidar bem da minha orquídea, uma  orquídea de flor plana (Phalaenopsis). Pretendo saber como se poda, se é possível transplantar para um vaso maior, se a posso multiplicar e, finalmente, como e quando a devo adubar», questiona.

«A minha planta encontra-se em ambiente com 22º C, recebe bastante luz e é regada de cinco em cinco dias. Por outro lado, que trepadeira com flores posso colocar no meu jardim, numa zona que recebe sol durante a maior parte do dia no verão?», aproveita para perguntar. «A sua orquídea brotou a partir dos frutos criados nos rebentos florais porque a leitora não os cortou quando murcharam. Corte rente esses rebentos e, se pretender, coloque em água as rosáceas brotadas para obter mais dois exemplares», recomenda os especialistas da revista Jardins.

«É conveniente transplantar para um vaso transparente porque estas orquídeas têm a particularidade de fazer a fotossíntese também através das raízes e por isso estas devem receber luz. Nesse recipiente, coloque turfa fibrosa ou de esfagno. Como trepadeira, para zona com sol, aposte na buganvília e na zona sombria deve colocar jasmim chinês», aconselham ainda os especialistas que habitualmente colaboram com a revista, líder no seu segmento em Portugal.

artigo do parceiro:

Comentários