Pela primeira vez ao público em Portugal... o felino mais ameaçado do mundo

Está a chegar… Uma espécie endémica da Península Ibérica; O felino mais ameaçado do Mundo; O carnívoro mais ameaçado da Europa... Quem sou eu?

Não sou muito grande, não ultrapasso os 14 kg de peso e 1 metro de comprimento, mas sou suficiente para manter outros predadores como raposas e sacarrabos, afastados do meu território. Azinheiras, sobreiros e mato alto são elementos que não podem faltar no meu habitat, o bosque mediterrânico.

Consigo trepar com facilidade pelos troncos das árvores e sou um ágil caçador. Aproximo-me silenciosamente, e pata ante pata aproximo-me o suficiente para saltar sobre a minha presa. Caço-a com uma mordida certeira na base do crânio.

No verão, protejo-me do calor e estou muito pouco ativo durante o dia. Nós os adultos, somos animais crepusculares e noturnos, tal como a nossa presa principal: o coelho-bravo.

Geralmente, as crias da minha espécie nascem na primavera, em março e abril. E no outono do ano seguinte, enfrentam um grande desafio à sua sobrevivência, é a fase de dispersão. É tempo de deixar a progenitora e partir em busca de território próprio.

É durante esta fase, que muitos juvenis da minha espécie acabam por perder a vida. Os desafios que enfrentamos são muitos e incluem por exemplo atravessar estradas construídas pelo Homem, florestas de eucalipto, poços e armadilhas que muitas vezes nos são fatais. Esta é uma das razões que faz com que em cada ninhada, geralmente de 2 a 4 crias, apenas 1 ou 2 sobrevive até à independência.

Já sabes quem eu sou?

São três as características que me distinguem de todos os outros animais do meu habitat:

1. No focinho tenho patilhas de pelo branco e negro
2. Na ponta de cada orelha tenho pelos rígidos negros em forma de pincel
3. A minha cauda é muito curta e com pelos negros na extremidade

Estou no topo da cadeia alimentar, e por isso sou essencial para o equilíbrio do ecossistema Mediterrânico, onde vivo. Contribuo para a existência de populações saudáveis de coelho-bravo e para o controlo natural das densidades de outros predadores. E a minha presa principal, é fundamental para o nosso ecossistema porque serve de alimento a mais de 40 espécies diferentes!

Sou o felino mais ameaçado do Mundo e o carnívoro mais ameaçado da Europa. A IUCN, a União Internacional para a Conservação da Natureza, classifica a minha espécie como Criticamente Em Perigo, o nível que antecede a Extinção na Natureza…

A partir de 18 de dezembro no Jardim Zoológico de Lisboa.

www.zoo.pt

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários