Massagens Orientais vão além do relaxamento

Trata-se da terapia mais antiga utilizada pelo Homem como recurso contra a dor

Quando pensamos em massagem, remetemos diretamente para relaxamento.

É um facto que, pensar em massagem, na maioria das vezes implica centrarmo-nos num conceito de relaxamento. Contudo, podemos situar-nos no mundo das massagens, tendo por base diferentes conceitos, diversas metodologias, vários objetivos e uma pluralidade de benefícios.

Massajar significa pressionar e mexer na pele, mas também nos tendões, músculos e ligamentos. Trata-se da terapia mais antiga utilizada pelo Homem como recurso contra a dor. Os massagistas e ou terapeutas utilizam, normalmente, as mãos e os dedos para massajar, podendo também utilizar os antebraços, cotovelos e pés. Podem ir de movimentos mais superficiais a movimentos que envolvam pressão profunda.

O principal beneficio reconhecido da massagem é a descontração do corpo e da mente, mas de acordo com a técnica utilizada e com intensidade e velocidade dos movimentos, o estímulo também pode ser considerável.

A massagem, e muito especificamente num contexto oriental é considerada complementar nas medicinas alternativas, sendo frequentemente prescrita por médicos e terapeutas das medicinas naturais, como:

Medicina Ayurvédica, natural da Índia, cuja massagem Abhyanga, se utiliza bastante enquanto tratamento;

Medicina Tradicional Chinesa, que utiliza a massagem TUI NA como a medicina ocidental/ alopática e se apoia na fisioterapia.

A massagem shiatsu e acupuntura japonesa, oriundas de um conceito de tratamento base no Japão.

A massagem de som com taças tibetanas, conhecida pela importância da vibração destes objectos ao nível dos líquidos corporais do ser humano, libertando tensões e conduzindo a um relaxamento profundo.

Também a massagem tailandesa ou massagem thaiyoga, desenvolvida na Tailândia já mais de 2500 anos, reequilibra o organismo e alivia tensões, restabelecendo energeticamente.

Estas massagens orientais, pela sua ancestralidade e sabedoria conduzem assim a patamares um pouco mais abrangentes e elevados do que possamos estar habituados no mundo ocidental.

Acima de tudo, o mais relevante será sentir os efeitos e consequentes benefícios tão comuns nos dias que correm, como:

- Redução da ansiedade;
- Estimulação de sentimentos positivos;
- Aumento de energia e estímulo do intelecto;
- Relaxamento do corpo e mente.
- Aumento da auto-estima;
- Melhoria e aumento da capacidade respiratória;
- Favoreciemnto da drenagem linfática;
- Equilibrio do sistema digestivo;
- Melhoria da elasticidade da pele, na circulação sanguínea, na tonificação muscular e do sistema imunitário no geral.

As massagens orientais, mais do que relaxamento e cultura, tratam, e funcionam como excelentes auxiliares num trabalho equilibrado do corpo humano, podendo levar à cura de diversos sintomas.

Por Vera Bilé
Terapeuta Brahmi

artigo do parceiro: Susana Krauss

O que procura?

Comentários