O que caracteriza a baixa autoestima?

A baixa autoestima é de certa forma, uma característica comum às pessoas que se sentem inadequadas consigo mesmas, com os outros, e com a vida em geral.

A autoestima é a estima que temos por nós mesmos, baseada numa autoimagem, e na consciência que temos sobre nós próprios como um todo, e dos nossos recursos internos. Representa a nossa perceção sobre os nossos recursos internos, e a forma como os utilizamos na vida. Se os direcionamos construtivamente e a nosso favor para expansão (autoestima elevada), ou se inconscientemente usamos estas forças internas contra nós (baixa autoestima) em modo auto-limitativo e como autosabotagem.

A baixa autoestima é de certa forma, uma característica comum às pessoas que se sentem inadequadas consigo mesmas, com os outros, e com a vida em geral. Manifesta uma ausência de maturidade emocional, e utilização inadequada do poderoso potencial da mente. Revela-se a existência de traumas, de crenças profundas auto-sabotadoras, assim como um enraizamento de demasiadas regras internas, que não permitem a expansão da pessoa em todas as áreas de vida.

Libertando a baixa auto-estima, é possível co-criar uma nova realidade interna e externa. Os resultados pouco satisfatórios na nossa vida, levam-nos por vezes a acreditar que não temos "o poder" interno para conseguir "mudar o mundo que nos rodeia". No entanto é possível reverter os resultados a nosso favor, mudando o nosso foco, mudando as verdades, mudando as regras, mudando a ação, mudando a intenção, mudando a visão, mudando a percepção, mudando a direção, e ressignificando tudo o que nos acontece de menos positivo.

Todas estas mudanças internas, se tornarão numa prova viva de que é possível obter resultados surpreendentes, e que é atingivel a co-criação de uma nova realidade interna e consequentemente externa. Logo após de se iniciarem tentativas de pequenas implantadoras de mudança, e treinamento de novas habilidades internas, todos os resultados começarão a ser diferentes, mais adequados e satisfatórios.

O que procura?

Comentários