Espelho Meu,Espelho Meu...O Que Está Ali Do Meu Eu?

Muitos são os obstáculos ao nosso equilíbrio e auto-conhecimento interior; um mundo cada vez mais cheio de tralhas tentadoras e apetecíveis e de intensas e maravilhosas experiências que no entanto nos desviam o foco desse tão desejado equilíbrio interior.

Ora já o Oráculo de Delfos nos sugeria “Conhece-te a ti mesmo” e se hoje parecemos estar tão longe dessa premissa, acredito também que nunca estivemos tão perto...

Desde sempre que o homem teve consciência da dualidade da experiência humana. Somos metade visível, metade invisível. Metade masculino, metade feminino. Metade Terra, metade Céu. Metade Luz, metade sombra e a verdade é que só na dualidade podemos encontrar equilíbrio. Aliás equilíbrio não é mais do que um jogo de forças entre duas partes e em nós tenho observado que estamos neste momento a trabalhar a dualidade entre o que está consciente e o que está inconsciente em nós.

Chegámos a um ponto tal de desenvolvimento tecnológico e científico e de identificação com a matéria que muitos de nós chegam a pôr em causa ou negam mesmo a nossa origem energética ou espiritual.

Mas se o grande, para não dizer único, propósito da experiência humana, é esse equilíbrio, e se para atingir esse equilíbrio tem de haver auto-conhecimento, o Universo é inteligente suficiente para nos ajudar a chegar a bom porto tenhamos consciência disso ou não.

A esse fenómeno eu chamo de espelhos e para o qual reservei um capitulo no meu primeiro livro “Regressão a vidas passadas”.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários