Ser Mulher vs Ser Feminina

Num tempo em que cada vez mais se fala em energia, já não faz muito sentido falar do papel da mulher na família, como mãe, como matriarca ou sequer do seu papel na sociedade, seja dentro do casamento seja no seu papel activo como contribuinte e participante da sociedade numa qualquer empresa.

Desde os anos 60 que se discute o feminismo tanto no seu lado positivo como no seu lado negativo. Se por um lado equilibrámos direitos, resgatámos regalias e reclamámos igualdades perante os homens, por outro perdemos a nossa capacidade de estar perto dos filhos e de cultivarmos a nossa comunidade onde se partilham historias, onde se criam vínculos, onde nos sentimos apoiadas pelas outras mulheres da nossa “tribo”. Perdidas num mundo de homens, longe da toca que seria o nosso abrigo da nossa Alma, acabamos por nos sentir sozinhas, frustradas e cansadas por andarmos a lutar uma luta desigual.

Sim, hoje podemos votar, temos a liberdade de fazer o que queremos, temos os mesmos direitos e regalias que os homens e de um ponto de vista terreno, foi um imenso passo, uma conquista importante que nos deu um modo de viver aparentemente mais equilibrado. Do ponto de visto energético, emocional e espiritual, temos ainda muito trabalho pela frente...

Passo a explicar:

Do ponto de vista físico, o corpo masculino e o corpo feminino são apenas manifestações físicas das energias femininas e masculinas presentes em tudo o que existe. O célebre circulo do Yin e Yang não é mais do precisamente o símbolo do equilíbrio entre a energia Yin (feminina) e Yang (masculina). Tudo o que existe pode ser dividido desta simples maneira. O Sol e a Lua, o dia e a noite, Marte e Vénus, a alegria e a tristeza, o positivo e o negativo, o Ar e o Fogo, a Terra e a Água, Acção e Emoção, enfim .. é uma lista interminável onde podemos arrumar practicamente tudo o que existe.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários