Semear e Colher

Se não mudares as sementes não mudarás a colheita.

Muitos vivem incomodados com o rumo das suas próprias vidas. Adormecem e acordam com a sensação de estar cada vez mais longe dos objectivos, planos e sonhos que haviam traçado para si. Vivem num constante desajuste com a realidade quotidiana, como se nada do que experienciam nessas suas vivências fosse o que algum dia desejaram. Sobrevivem a uma serie de condicionalismos, uma sucessão de “tem de ser” como se a resignação fosse a única saída.

Essas pessoas moram onde não se sentem bem, trabalham vendo as suas capacidades desperdiçadas, convivem com quem não simpatizam, frequentam espaços que drenam as suas energias, permitem a toxidade relacional. E assim passam os dias esquecidos de si mesmos, numa fuga diária à sua verdadeira essência, conformando-se com o que incomoda.

Devemos ter em consideração que a nossa vida hoje é consequência de atitudes, acções, pensamentos e escolhas do passado. Permanecer na mesma frequência é, como tal, uma opção.

É necessário eliminar tudo o que não proporciona crescimento e leva à estagnação, cortar com tudo o que não acrescenta. Por isso, é preciso estar sempre atento aos caminhos e descaminhos que compõem a nossa jornada, pois fomos nós mesmos que optamos por trilhá-los. Analisar o que em nós contribuiu para estarmos onde nos encontramos hoje, será essencial para que possamos mudar os rumos das nossas vidas, agindo de forma diferente, para então colher outros resultados.

Assim sendo, só fazendo valer uma realidade diferente hoje, através de uma postura diferente no agora, podemos começar a construir uma nova realidade amanhã. Seguir um caminho genuíno em direcção à felicidade, junto de quem nos provoca sorrisos sinceros.

Márcia Oliveira
Terapeuta de Desenvolvimento Pessoal; Life and Spiritual Coach; Taróloga www.ateliermarciaoliveira.com

artigo do parceiro:

O que procura?

Comentários