O significado do mês de abril: ciclo de gerações

Os momentos em que os pontos mais profundos e ancestrais tocam os pontos mais profundos e ancestrais da nossa cria e sentimos com todas as nossas células e entranhas

O Vazio que origina o Cheio. O ciclo: Vida Morte Vida. O Tanto que estes Tempos de morte e renascimento Primaveril nos mostram e ensinam. Os momentos em que nos vazamos de tudo o que somos ... amor, dor, sabedoria, loucura, aprendizagem, fragilidades, força, dons e capacidades...depois a sensação que fica tão leve e que nos faz repousar, e, depois o renascer CHEIO. Que por sua vez Vaza no seu tempo, e, Repousa, e, Renasce. Assim é.
É importante olharmos e vermos onde e como tudo isto se passa na nossa vida. Hoje apetece-me destacar os vários e tantos momentos em que vivemos tudo isto com as nossas crias. É certo que esses momentos começam desde o momento em que são gerados, mas cada fase é uma fase, cada idade uma idade, cada momento um momento.

Os momentos em que nos vazamos para as nossas crias, nas várias situações, momentos e mundos. Desde o gerar, o que sentimos enquanto crescem dentro e fora de nós :), desde o amamentar, o que sentimos quando o leite sobe e sai, o que sentimos ao nutrir, a sede depois de amamentar ou a dor durante, o que sentimos ao brincar até mais não, sem ter mais força ou criatividade; o que sentimos quando tentamos tudo fazer para que tudo esteja "bem", o que sentimos ao ler a história até a boca secar ou até o sono chegar, o que sentimos ao cantar até a voz faltar, ao rir até não respirar, ao chorar até tudo vazar, ao gritar para "desopilar", ao ensinar o "b-à-bá" até ao lanche ou jantar, ao estudar juntos porque amanhã é dia de teste, ao falar da vida até as estrelas brilharem e os risos serem constantes pelo sono; ao partilhar e ensinar tudo o que achamos o mais certo ou melhor até sentirmos que a semente lá está, entregando e respeitando a forma como a nossa cria escolher cuidar dessa semente...e, por aí fora...

O momento em que nos vazamos para a nossa cria; os momentos em que os pontos mais profundos e ancestrais tocam os pontos mais profundos e ancestrais da nossa cria e sentimos com todas as nossas células e entranhas o quanto flui, o quanto é, o quanto vibra e o quanto tudo está tão certo que arrepia e nos enche os olhos de lágrimas e o peito de um fogo de sempre e para sempre.

O que procura?

Comentários