O reiki e o chá

A simbiose do Reiki com o Chá e a meditação do chá.

Apenas nós — e mais ninguém — determinamos se sofreremos ou se seremos felizes. A escolha entre beber um veneno ou tomar um remédio está nas nossas próprias mãos. O remédio até pode ter um gosto amargo no momento; o veneno até pode ter um sabor doce.

Mas a longo prazo, o veneno apenas nos conduzirá ao sofrimento e o remédio tornar-se-á um benefício maior...Mestre Usui dizia que “ Reiki é a arte secreta de convidar a felicidade”

A um futuro Reikiano ou a alguém que só quer ser feliz …

Todos nós, sem exceções, podemos ser um canal de Reiki. Não existem limites de idade e não é exigida nenhuma condição especial. O Reiki encontra-se ao alcance de todos Nós, inclusive das crianças, dos idosos, dos animais e das pessoas doentes.

Todos nós, em determinados momentos da nossa vida, passamos por situações difíceis de sofrimento, tanto pessoais, como também com os mais próximos, a família e os amigos.

Não sendo apenas sofrimento físico e material, como também emocional e mental e em algumas ocasiões espiritual. Quantas vezes pensamos que se pudéssemos dispor de algo para interagir e ajudar a aliviar os sofrimentos, a vida poderia ser melhor e sermos mais Felizes.

Então, de alguma forma, tomamos conhecimento de que o Reiki está disponível para nós e que é inesgotável. Reiki é uma energia de amor que passa através do nosso coração, pelo Chacra Cardíaco. Quando nos convertemos num canal de Reiki, somos somente um meio através do qual a energia de amor universal se conduz. Podendo fazer fluir a energia vital, curativa, cósmica, espontânea e ilimitada, pelas nossas mãos, com um simples gesto de amor e entrega.

É tão simples que até resistimos inicialmente a acreditar. É incrível!

Ao estarmos em contacto com o Reiki, abre-se para nós um mundo totalmente novo, diferente, que a princípio não acreditávamos poder existir. Entretanto, precisamos ficar atentos para não permitir que esse conhecimento venha alterar o nosso ego, o qual iria bloquear o nosso processo evolutivo.

O que procura?

Comentários