O poder e a liberdade que temos de... Escolher!

“Se continuarmos a fazer as mesmas coisas, vamos ter sempre os mesmos resultados.”

Dizia Albert Einstein e muito bem:

“Se continuarmos a fazer as mesmas coisas, vamos ter sempre os mesmos resultados.”

Todos temos uma história. E quer acreditemos quer não, maior parte dela está inconsciente e vive escondida algures em nós. Perto do que carregamos nas nossas células em memórias, experiências, aprendizagens e maturidade adquiridas em vidas passadas, o que vivemos na vida presente, em comparação, é mesmo muito pouco. Atrevo-me mesmo a dizer que nós somos a personificação dessa história. Ou seja, o resultado final de todos esses momentos passados.

Visto assim, podemos então observar que o que temos vindo a comer está reflectido no nosso corpo. O que temos vindo a pensar vaza para as nossas ideias e discursos. O que temos vindo a sentir está espelhado nos olhos e no nosso estado de espírito, e o que temos vindo a acreditar está visível na nossa rotina.

Os padrões do passado são facilmente identificáveis em duas vertentes;

- nas aversões ou apegos doentios e difíceis assim como nos dolorosos vícios que mantemos e também
- nas atracções ou talentos que estão reflectidos normalmente nos passatempos e hobbies que gostamos.

Esse conjunto é a nossa história. Não é quem realmente somos, mas apenas a nossa história. É toda essa energia que se passeia pelas nossas células e que nos condiciona 24h por dia e que entra em estado de alarme sempre que nos deparamos com encruzilhadas.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários