Faz as pazes com a vida que escolheste!

Para fazermos as pazes com a nossa vida teremos que primeiro aceitar o conceito da dualidade.

Cada vez mais a visão irrealista e idealista que nos fazia ansiar por um mundo perfeito e uma vida perfeita começa a ser substituída pela visão real de que vivemos num mundo dual onde sombra e luz, medo e amor, bem e mal andam lado a lado.

Há mais de 4000 anos que os Mestres Taoístas nos ofereceram a sua visão dual da realidade através do símbolo Yin Yang e praticamente todas as filosofias do mundo a mencionam nos seus textos, mensagens e metáforas. A ciência juntou-se a esta visão no estudo do átomo.

A verdade é que não precisamos de filosofias nem da ciência para sentirmos a dualidade pois cada um de nós a vive diariamente. Dia, noite, chuva, sol, trabalho, descanso, homem, mulher, alegria, tristeza, doença, saúde, enfim, não caberiam numa enciclopédia todos os exemplos de experiências da dualidade.

Para fazermos as pazes com a nossa vida teremos que primeiro aceitar o conceito da dualidade pois é essencial para vivermos uma vida de qualidade. E por qualidade não quero dizer que tudo irá ser perfeito e correr bem obviamente. Quero dizer sim, capacidade de viver em paz com o que a realidade dual é e de aceitar o que a vida traz a cada momento como expressões inteligentes dessa dualidade.

Aceitar a dualidade é então reconectar com a Unidade pois atrás de cada experiência está sempre a sua oposta e é na consciência dos opostos que encontramos Deus.

E porque perceber isto é tão importante, perguntas tu?

O que procura?

Comentários