Aceitar-te como tu és?

Quantas vezes já leste ou ouviste que deves aceitar-te como tu és? E quantas vezes já leste que deves evitar qualquer forma do verbo DEVER?

Com quantas regras já te deparaste nos manuais de auto-ajuda e desenvolvimento pessoal?

Afirmações para aqui, meditações para ali, respirações para cima, exercícios xpto para baixo.

Cansei-me disso.

Li muita coisa, pratiquei outras tantas, não tive paciência para experimentar a maior parte e questionei sempre tudo: como é que seres de AMOR, Deus em expressão, têm que fazer tanta coisa para que a vida possa ser feliz e harmoniosa?

Nunca te questionaste?

E se não houver nada a fazer?

E se essa tal aceitação de quem és, aqui e agora, for exatamente isso? O ponto de partida e de chegada?

Aceitar que não aceitas.

Aceitar que queres mudar.

Aceitar o que queres mudar.

Simplesmente isso.

Sem regras.

Sem obrigações.

Sem rituais.

Viver à tua medida!

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários