Halloween, um festival às nossas trevas!

Estamos no mês de Escorpião, o signo das trevas, da escuridão, do DarkSideofLife que quer queiramos quer não, mais ou menos escondido, existe, está cá, faz parte da experiência humana e está representado como Arquétipo em todos os mapas pessoais com mais ou menos intensidade.

Na sua vertente negativa ele representa o que está escondido, a mentira, o segredo, a manipulação. Do outro em relação a nós e em última análise de nós próprios e das nossas emoções. Oposto ao Signo dos valores por excelência, Touro, ele é também (e falo apenas pela minha experiência pessoal) a dependência de valorização dos outros que começa sempre por uma enorme desvalorização pessoal. E quantos de nós de nós não têm também dentro de si aquela vozinha deprimente a cantar-nos constantemente o quanto estamos sozinhos, o quanto somos incapazes, o quanto não prestamos ou somos suficientemente bons para sermos amados e aceites que levante o dedo e se acuse!

Por tudo isto, e só depois deste energia ser vivida ao extremo nas suas mais dolorosas vertentes, externas e internas, o Escorpião em nós, ou a área de vida regida pelo mesmo nos nossos mapas, cansado destes padrões doentios e do desgaste e perdas que os mesmos provocam, busca, mais cedo ou mais tarde a Luz, a Verdade, a Transparência, o Valor Próprio, a Libertação desse depressivo ego inferior e enganador e escolhe viver a partir da Alma, da Verdade, da Luz e da Transparência. E só a partir deste patamar temos acesso aos dois pólos, ou seja ao que em nós é Luz e o que em nós é trevas. Abracemos os dois. Aceitemos os dois. Acarinhemos os dois pois esse será o inicio do equilíbrio tão essencial à felicidade que procuramos. Até lá, até conseguirmos atingir esse brilho interior espelhado apenas nos olhos dos que se permitiram sentir as dores ao limite, tudo faremos para manter o brilho exterior, a acumulação de tralha, a ilusão do que ainda não foi atingido.

Veja na próxima página a continuação do artigo

O que procura?

Comentários