Lua Nova no Grau 23 de Caranguejo

Em 16 e Julho de 2015: Chegou o grande momento de tomarmos consciência dos fantasmas que habitam dentro de Nós e que nos fazem sentir culpa só de ousarmos viver nessa liberdade.

Imaginem o que será viver sem medo de expressar tudo o que sentimos.

Sintam essa liberdade . Permitam-se sentir essa energia solta sem obstáculos nenhuns.

Agora sintam o quanto nos limitamos por estruturas de insegurança criadas por medos construídos por o ego que se formata a crenças e valores de proibição.

Chegou o grande momento de tomarmos consciência dos fantasmas que habitam dentro de Nós e que nos fazem sentir culpa só de ousarmos viver nessa liberdade.

Arrumar a casa interna requer sentirmos todas essas restrições do ego e que habitam em nós, entulham-nos de lixo astral, dogmas e paradigmas que é errado ter essa liberdade.

O ego é habitado por imensas subpersonalidades que nos impõem regras rígidas e que tomam forma no nosso Ser.

Somos seres ilimitados dentro do corpo etérico, mas aprisionamos e limitamos essa incrível força criativa que está dominada por uma força contrária à evolução.

Experimentarmos sem limitações egoicas que nos fazem sentir medo de ser Verdade.

Agora sentimos o apelo de derrubar as muralhas que criamos por medo de Acreditar que é possível criar a realidade que quisermos.

Por de trás de todo estes mecanismos de defesa egoica está o grande fantasma da crença da culpa.

Defendemo-nos logo se alguém nos mostra a sombra que habita na nossa casa interna, cremos provar a nós próprios que ela não é real e nesta mentira criamos a prisão, a auto agressão, pois ninguém pode ver o que não queremos ter consciência de Nós.  Nessa medida o ego logo se defende e diz ser mentira, quando na verdade só estamos com culpa e agarramo-nos ao orgulho e arrogância em mostrar o contrário.

Quem perde com essa mecânica de defesa inconsciente???
Só Nós!

Arrumar a casa interna e crescer em maturidade emocional requer ter a coragem de sentir que ninguém nos está a aprisionar, somos nós que temos medo do que os espelhos que se reflectem em tudo na nossa vida nos estão a mostrar, é o ego que tem a arrogância de querer deturpar a imagem pura e cristalina que tudo o que nos rodeia nos mostra quem habita em nós.

É profundo e necessário este recolhimento interno para sentirmos essa máscara de arrogância e onde não nos permitimos VER . Essa é a energia do plano astral ...
Arrumar a casa interna é sentir toda a malha de defesa para não sermos autênticos e espontâneos.

Imaginem a liberdade de viver fora desta malha egoica de orgulho e culpa.

Aproveitem bem este momento para renascer nesta verdade, e depois sim, estamos prontos para viver mais presentes em cada instante, mais naturais e espontâneos connosco próprios e claro que isso trará mais clareza , crescimento e maturidade.

Só desta forma iniciaremos a decoração da nova casa interna.

Só desta forma podemos nos recriar sem limites.

Um profundo Abraço em comunhão e interioridade ,
Ruth Fairfield

Sobre a autora:

Ruth Fairfield é meu nome e considero-me uma cientista cósmica, pois os astros sempre me encantaram desde muito nova, dedico a minha vida a criar dinâmicas de consciência da influência evolutiva do mundo da energia cósmica e como podemos acompanhar toda a transformação interna , gerir o livre arbítrio, com o mapa da estrada da vida, a matriz astrológica, a impressão digital da nossa alma...

Fiz a formação de astrologia no Quiron, escola de astrologia gerida por Maria Flávia de Monsaraz, várias formações com Alan Oken, José Luis de Nascimento e outros...

Criei uma forma de mesclar todo o conhecimento de astrologia Esotérica, psicológica, kármica e médica e criar uma leitura do movimento da energia num sentido pratico e dinâmico de forma a ajudar as pessoas a conhecerem-se, criarem autonomia e gerirem a sua mudança... a criarem vitalidade, vontade e entrega na sua vida quotidiana…

 

Incondicionalmente rendida ao Universo e às Leis da Vida....

Ruth Fairfield

 

Contactos:

Ruth Fairfield

966425493/914632063

Sunshineruth@gmail.com

https://www.facebook.com/ruth.fairfield

 

artigo do parceiro:

O que procura?

Comentários