Novembro Astrológico 2016

Movimento planetário para o mês de Novembro

Durante o mês de Novembro o Sol permanece em Escorpião até ao dia 21, data em que ingressa em Sagitário. Até esta data ele proporciona-nos a fluidez energética com um trígono a Neptuno (de 1 a 4), sextil Plutão (de 5 a 9) e trígono a Quíron (de 11 a 15). Estes aspectos trazem o potencial de cura e transformação através da Consciência dos processos já descritos na Lua Nova em Escorpião (que ocorreu no dia 30 de Outubro - ler mais aqui), e que encontram apoio e contribuem para a Identidade Universal através do sacrifício das pequenas vontades da personalidade que estão na origem das guerras e comportamentos destrutivos. Permite o aprofundamento necessário para transcender as ilusões de separatividade e a oportunidade para reconhecermos os nossos tabus e complexos psíquicos para que seja possível unificarmos todas as partes de nós, o que rejeitamos ou sentíamos que era rejeitado, e desenvolvermos a fé que nos ajuda a navegar, a ultrapassar e a compreender as crises vividas através das perdas. O quincôncio a Úrano em Carneiro (de 11 a 15) remete para a dificuldade em encontrarmos uma forma mais livre de nos expressarmos e, na incapacidade de nos dedicarmos ao processo anterior, o risco de procurarmos essa liberdade através dos equívocos psíquicos que ainda acumulamos. Com isto quero dizer, através de mais luta, guerra e destruição (tanto Escorpião com Carneiro regidos por Marte) porque pretendemos a liberdade não por meio da aceitação dos processos de transformação internos mas através da revolta pela resistência em fazê-lo.
Júpiter continua a avançar pelo signo de Balança e em muito podemos beneficiar das suas qualidades para trazer a presença do Ar que ajuda a clarificar as energias tão fortes e intensas que acabámos de abordar. Júpiter relaciona-se em sêxtil com Saturno em Sagitário de 11 a 30 de Novembro. Esta é uma comunicação bem diferente da que estabeleceram aquando da passagem de Júpiter em Virgem, período durante o qual mantiveram uma tensão (quadratura) que em muito contribuiu para a desaceleração do crescimento pessoal e cujo propósito era promover a compreensão dos nossos próprios limites e (limitações), bloquear a abertura de horizontes e de oportunidades para que fosse possível (antes de nos “lançarmos ao mundo”) uma expansão interna, ao nível do autoconhecimento e do aperfeiçoamento individual. Durante esta tensão Júpiter/Saturno, aqueles que mais se focaram nas dificuldades externas manifestas através desta relação, perderam a oportunidade de crescimento (Júpiter) que estava (e sempre está) implícita em qualquer experiência de vida. Para estes com maior dificuldade em “Acreditar” que é possível sentir Gratidão e ter esperança no futuro perante realidade tão sombria (e compreende-se perfeitamente até porque Júpiter estava em exilio no signo de Virgem…) Júpiter foi provavelmente muito pouco benéfico, e na realidade um verdadeiro “chato” ampliando tão-somente os detalhes enfadonhos e as imperfeições da nossa vida. Resta conseguir compreender que os únicos “benefícios” de que devíamos estar à espera (afinal Júpiter é o Grande benéfico), são tão-somente os frutos dos nossos esforços, trabalho e dedicação. Então, os benefícios conquistam-se e determinam a nossa “sorte” ou “azar”…

O que procura?

Comentários