Lua Cheia e Eclipse Lunar no Grau 24 de Peixes

16 de Setembro de 2016: Este eclipse lunar nesta lua cheia trás de facto esta sensação de descontrolo.

Eis outro grande momento que faz parte da dança das correctas relações humanas que estamos a iniciar, como já mencionei no eclipse anterior, estamos a ter a oportunidade de tomarmos consciência dos desequilíbrios que existem no nosso psiquismo interior, uma relação disfuncional com a energia feminina e masculina interna… o que acaba por criar o efeito espelho para os relacionamentos, sejam eles de que ordem for.
Da última etapa evolutiva, era de peixes, ficamos com uma herança pesada de emoções recalcadas, fruto de crenças e valores religiosos de que era errado sentir e que levou a comportamentos de sacrifico disfuncionais, sacrifício esse relativo à verdade do que sentimos e que permanece em atitude desonesta para connosco próprios.
A dita ilusão da complementaridade versus igual a nós, senão ficamos inseguros.
Até aos dias de hoje essa carga genética de evolução colectiva tem sido vivenciada de forma inconsciente no ser humano, ou seja, ausência de consciência de como afecta a conduta de estar em relação com os outros, as necessidades de segurança para se sentirem em equilíbrio e que são uma distorção da causa origem, o que na verdade despoleta a reacção de defesa do ego.
Na tentativa de esconder as feridas emocionais que têm remanescência no início primordial da vida humana pelo adormecimento da consciência da necessidade desta polaridade energética se dividir, descobrir individualmente e voltar a unir dando assim espaço para desenvolver a natureza divina… procurar consciência… é esse o contributo da terra para o cosmos evoluir… esquecimento esse que perpetua nas memórias celulares até aos dias de hoje… esse movimento da divisão é na verdade a necessidade de complementaridade para que sintamos a fusão com tudo e que muito está destorcido pelo ego em padrões emocionais de sofrimento, tristeza, frustração, raiva, vazio insustentável para o corpo de dor.
Esta estrutura disfuncional da polaridade feminina e masculina (sentir e reacção) cria no ser humano um desequilíbrio e eis que chegou o tempo de toda esta consciência acordar, entrar numa nova etapa de evolução que requer que agora toda esta disfunção desperte, podendo provocar as ditas dissociações entre o ego ferido e a necessidade de acompanhar o fluxo evolutivo, a reunião em complementaridade.

O que procura?

Comentários