Junho Astrológico

Movimento planetário durante o mês de Junho de 2016

Ao analisar os trânsitos dos planetas durante este mês de Junho surgiu-me a memória do período durante o qual a tensão entre Úrano / Plutão, e durante menos tempo com Saturno, desafiavam ferozmente aqueles que possuíam nos seus mapas natais planetas ou eixos em signos cardeais (Carneiro, Caranguejo, Balança e Capricórnio). Foi entre 2011 e 2015. Actualmente Úrano e Plutão ainda se encontram nos mesmos signos mas sem formarem aspecto entre si. Sim, é verdade que continuam a ter sua influência na cruz cardeal mas sem um efeito em conjunto, algo muito mais pausado, como se pudéssemos tratar de “cada coisa a seu tempo”.
Mas desde 2015 o grande enfoque da tensão muda para a relação entre Saturno / Neptuno / Júpiter, e passa a ter lugar em signos mutáveis. E por isso não passa um mês desde então que não tenhamos que abordar este tema. Para aqueles que possuem nos seus mapas natais planetas ou eixos nestes signos (Gémeos, Virgem, Sagitário e Peixes) estes trânsitos estão a activar a já existente tensão natural que existe na vossa vida. No caso dos que não possuem energias em signos mutáveis é uma excelente oportunidade para integrarem uma qualidade para a qual não possuem uma afinidade natural.
Mas apesar do mapa natal de cada um expressar de forma individual estas tensões induzidas pelos trânsitos planetários, a verdade é que de forma mais ou menos intensa todos estaremos a sentir o efeito destas tensões que ocorrem em signos mutáveis. E foquei-me desde o início nesta temática porque este mês de Junho terá fortes posicionamentos nestes signos formando ao longo do mês aquilo que denominamos em astrologia de “Cruz Cósmica”. Isto significa que teremos planetas a transitar todos os signos mutáveis e a formarem aspectos entre si em simultâneo. Isto requer uma maior maestria na capacidade para distribuir as energias de modo equilibrado sem que enlouqueçamos por entre toda a dispersão. O segredo para passar pelo desafio com um upgrade na Consciência talvez consista em perceber exactamente o que pretendem as energias mutáveis. Não se trata de iniciar (cardeal), nem concentrar (fixo), mas sim em conseguir distribuir a energia de forma a retirar o melhor proveito das circunstâncias (mutável). Trata-se muito mais de conseguir fluir do que propriamente focarmo-nos em algo por muito tempo, fixarmo-nos ou concentrar nisso muita energia. Em astrologia chamamoslhes as “Qualidades” – Cardeal, Fixa, Mutável – na natureza são os 3 meses de cada “estação do ano”; no hinduísmo corresponde a “Trimurti” – Brahma (Criação), Vishnu (Conservação) e Shiva (Destruição). Então poderíamos dizer que a qualidade Mutável tem a energia de Shiva (o deus da destruição das formas). E poderíamos fazer muitas mais associações porque a Sabedoria encontra-se repetida e dispersa nas mais diferentes “formas” de conhecimento. Todas se validam. E isto (o conhecimento) também é algo peculiar da energia Mutável – destruídas as formas (Shiva) o que resta? Corresponde à aprendizagem resultante da experiência para podermos passar para um novo ciclo. A qualidade mutável é uma energia de Transição, por isso trata-se de conseguir perceber o que é que transita para a “estação” seguinte (ou seja para o novo ciclo). O que é que aprendemos e queremos transmitir? O que é informação útil e serve para o meu aperfeiçoamento? O que é que acrescenta Significado à minha vida e me expande? O que é que me devolve à Unidade? Gémeos… Virgem… Sagitário… Peixes

O que procura?

Comentários