Junho astrológico

A análise astrológica do mês.

Desde a última análise mensal sobre os trânsitos planetários (abril), a força do movimento retrógrado encontrou o seu efeito por estes lados, e não foi possível deixar-vos as reflexões referentes ao mês de maio. Foi um tempo de muito trabalho e de alguns reveses que forçaram a esta breve ausência.

Durante este mês Júpiter Retrógrado em Balança passa a movimento directo a 9 de junho. Foram cerca de quatro meses, mais propriamente desde o dia 6 de fevereiro, que Júpiter esteve nesta condição. Júpiter é um planeta cujos princípios estão fortemente associados às qualidades de expansão. A simbologia astrológica pode ter vários níveis de interpretação. Podemos associar o princípio da Expansão de Júpiter à realidade permitida pelos nossos 5 sentidos com todos os excessos que essa busca representa, mas aquilo que é fundamental compreender na sua simbologia é a Expansão de Consciência.

Tornarmo-nos Grandes, Maiores, que aquilo que os nossos 5 sentidos nos permitem ser. Talvez a intenção principal, ao passar a movimento Directo, é trazer para a nossa Consciência o que nos desvia (ou desviou) desta necessidade de Expansão e Orientarmo-nos no sentido de vivermos cada vez mais em “correctas relações humanas” (mestre Djwal Khul). Esta é a Lei da Correspondência, de Causa-Efeito trazida até nós pela energia do signo da Balança. Ao longo da sua passagem por este signo, e principalmente da relação que tem feito com Úrano em Carneiro e Plutão em Capricórnio, temos presenciado e vivido um verdadeiro “terrorismo” mundial no que respeita aos “atentados” a esta Lei fundamental, cuja compreensão é essencial para que possamos viver em plena Harmonia com a Vida.

Os aspectos de tensão (falamos essencialmente de quadraturas e oposições) exprimem as dificuldades inerentes à integração dos seus princípios; a quebra de Leis que possibilitam o equilíbrio entre as pessoas, países e o mundo inteiro; uma anarquia existencial que traz ao de cima o “complexo de Zeus”; a prepotência presente na ilusão de que podemos expandir (até onde os 5 sentidos permitem) sozinhos, sem ter noção dos próprios limites, a prepotência que promove os excessos políticos que destroem o bem colectivo, a Humanidade como um todo. Mas tudo funciona em “espelho”, por “correspondência” (Balança) por isso por tudo devemos assumir responsabilidade, e porque muito sobre este tema foi já desenvolvido em análises anteriores, era importante Relembrar o que foi referido acerca da sua simbologia e dos seus princípios (consultar as reflexões desde Fevereiro Astrológico).

O que procura?

Comentários