Operação ao clítoris aumenta satisfação sexual

O recurso à cirurgia estética íntima, muito em voga nalguns países, permite aumentar a sensibilidade da parte mais sensível da vagina. Saiba como se processa e quanto pode custar

Em certas ocasiões, devido a diversos fatores, é necessário remodelar ou reduzir o clítoris. Habitualmente, esta intervenção é realizada quando o órgão está deformado e provoca mal-estar. No caso de idades avançadas, o objetivo passa por rejuvenescer a sua aparência. Podem ser realizados dois tipos de intervenção. Uma é a redução do clítoris excessivamente grande, intervenção que se efetua mediante uma série de incisões, com o objetivo de que este se possa deslocar para trás ou para o interior.

A segunda intervenção que se realiza sobre esta zona é a exposição do clítoris oculto (lifting) que consiste na redução da pele que envolve o mesmo. «A grande maioria das cirurgias ao clítoris corresponde à hipertrofia de revestimento. Consiste em diminuir o revestimento porque ele está praticamente todo tapado», explica o cirurgião Biscaia Fraga. Ambas as intervenções são realizadas com anestesia loco-regional. A intervenção dura, em média, entre 40 a 60 minutos.

Os resultados são geralmente muito satisfatórios. Muitas mulheres passam a desfrutar de melhores relações sexuais, assim como uma qualidade de vida superior. «Esta cirurgia implica uma componente funcional porque interfere diretamente com o prazer da paciente», revela Biscaia Fraga. Em média, em Portugal, um procedimento cirúrgico deste tipo pode custar entre 2.000 € a 2.500 €.

Texto: Cláudia Pinto

artigo do parceiro:

Comentários