Fantasia sexual ou desejo efetivo?

Um estudo da Universidade de Montreal, no Canadá, concluiu que a maioria da população adulta sexualmente ativa tem mais fantasias do que até aqui se pensava.

Muitas pessoas questionam-se porque é que os filmes da saga cinematográfica «As Cinquenta Sombras de Grey» de E.L. James, que em fevereiro de 2017 estreou «As Cinquenta Sombras Mais Negras», tem tanto sucesso no mundo inteiro. Afinal, o seu conteúdo é mais popular do que se admitia. Uma equipa de investigadores da Universidade de Montreal, no Canadá, concluiu que a maioria da população adulta sexualmente ativa tem fantasias sexuais comuns.

E descobriu isto após analisar as respostas de 799 homens e 718 mulheres. Os voluntários, com cerca de 30 anos, residentes no Quebeque, tiveram de avaliar 55 fantasias sexuais diferentes, pontuando-as. Os que indicassem 1 estariam a dizer que não estavam nada interessados. Os valores subiam depois até ao 7, o número máximo da escala, correspondente a um forte interesse neste tipo de práticas e temáticas.

Mais de 84% dos participantes admitiram ter fantasias sexuais em que sentiam amor pelo parceiro durante a relação sexual, faziam sexo oral ou, no caso dos homens, tinham relações com duas mulheres ao mesmo tempo. Liderado por Christian Joyal, investigador na área da neuropsicologia, o estudo veio confirmar que os homens usam mais a imaginação erótica.

Os autores do estudo referem ainda que cerca de dois terços das mulheres manifestam fantasias de submissão, como ser amarrada. Contudo, enquanto as mulheres diferenciam claramente entre fantasia e desejo, «a maioria dos homens gostaria muito de ver as suas fantasias realizarem-se», atesta o especialista. O estudo foi publicado, em 2014, na revista científica Journal of Sexual Medicine, antes da estreia de «As Cinquenta Sombras de Grey», em 2015.

artigo do parceiro:

Comentários