O telemóvel é prejudicial para as relações amorosas, diz estudo

Um estudo norte-americano revelou os efeitos negativos do uso do telemóvel nas relações a dois. Para além de enfraquecer uma relação amorosa, o telemóvel pode deteriorar o bem-estar de alguém e levar à depressão.

Um estudo da Universidade Baylor revelou que os telemóveis e smartphones podem levar à destruição das relações amorosas e desencadear depressões. O estudo, publicado no jornal académico Computers in Human Behavior, centrou-se em perceber de que forma é que o uso excessivo e alienante do telemóvel - também conhecido como "phubbing" -  afeta as relações amorosas e a pessoa com quem partilhamos a nossa vida.

Os participantes foram questionados sobre o impacto do uso dos telemóveis na sua relação amorosa e como é que o "phubbing" os fazia sentir. Dos 145 entrevistados 46,3% disse sentir-se rejeitado pelo seu parceiro, 36,6% revelou sentir-se deprimido pelo menos uma vez e 22,6% diz que o telefone já foi motivo de conflito na sua relação.

“Nas interações diárias com a nossa cara-metade, as pessoas acreditam que as distrações momentárias com os nossos telemóveis não são importantes, mas as nossas conclusões sugerem que quando os momentos a dois são interrompidos para uma das partes atender o telefone, existem menos probabilidades do outro se sentir satisfeito na relação. As distrações momentárias podem levar a sentimentos de depressão e baixar o bem-estar desse individuo”, revelou Meredith David, um dos três académicos envolvidos no estudo.

Outro dos docentes explica que nem todas as relações são afetadas pelo uso do telemóvel, uma vez que as pessoas são diferentes umas das outras. As pessoas mais inseguras são as mais afetadas pelo "phubbing" e as que acabam por sofrer mais.

“Quando pensamos nestes resultados, eles são surpreendentes”, disse James A. Roberts. “Algo tão comum como o telemóvel pode destruir o nosso caminho para a felicidade”.

Comentários