O que mais a irrita no casamento?

Não deixe que a fixação dele pelo computador ou pelos almoços em casa da mãe aos domingos arruínem a sua relação

Na vida de um casal, é inevitável. Depois de um início arrebatador, mais cedo ou mais tarde o enamoramento e as borboletas na barriga dão lugar à rotina de uma vida a dois.

E os defeitos deles e delas, que antes até passavam despercebidos, tendem a irritar cada vez mais, gerando um mau estar e um afastamento, nem sempre pacífico, entre os elementos do casal.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Granada, em Espanha, e publicado na revista Intervención Psicosocial, as mulheres sentem emoções mais intensas que os homens quando surge um conflito amoroso. Eles, por outro lado, demonstram mais agressividade e dão origem às brigas.

Segundo os investigadores, os homens manifestam emoções como raiva, ira ou desprezo, enquanto as mulheres tendem a ter atitudes mais submissas, com sentimentos de culpa, tristeza e medo. Com a ajuda do psicólogo Joaquim Quintino Aires revelamos os defeitos que mais irritam o sexo oposto e os truques para os superar sem pôr em risco a relação.

AS QUEIXAS DELAS

«Ele passa o serão no computador»

«Os homens têm menor habilidade para manter um diálogo e o computador funciona como um brinquedo extremamente útil», explica Quintino Aires. «Enquanto está no computador ninguém lhe faz perguntas que ele não quer ou não consegue responder», realça o especialista.

A solução para esta situação é simples. «Comece a falar com ele, usando frases simples, com apenas uma ideia. Não lhe pergunte demasiadas coisas que ele possa considerar íntimas de homens ou que lhe pareçam que está desconfiada do que ele faz quando não estão juntos», recomenda Quintino Aires.

Se preferir, imagine um cronómetro mental e tente controlar o tempo que cada um fala, atribuindo-lhe o dobro do tempo. «Os homens adoram imaginar que ensinam coisas às outras pessoas. Depois de algumas destas sessões inicie a etapa dois. Aproxime-se do computador e mostre-se atenta ao que ele está a ver ou a fazer», sugere ainda.

«Insiste em almoçar todos os domingos em casa da mãe»

«A sociedade ocidental está muito formatada na cultura judaica, na qual a mãe tem um papel dominador sobre o que se passa dentro de casa», diz Quintino Aires. É natural que os rapazes cresçam sob o domínio da mãe, o que dá origem a uma relação de dependência. «Não comece pela competição direta com a sua sogra, pois o mais certo é originar problemas entre si e o seu marido», alerta o especialista.

Em cada domingo, depois do almoço, converse bastante com ela, pois assim ele não dará demasiada atenção à mãe. «Aproveite para fazer todos os desabafos sobre a sua vida. Mesmo que não tenha muito para se queixar, invente. O importante é não deixar que seja a sua sogra a queixar-se de um maior número de problemas», diz Quintino Aires. «Ela vai fartar-se do seu queixume e aborrecer-se da falta de oportunidade para se queixar e será ela a sugerir que não almocem juntos todos os domingos», refere o psicólogo.

«Deixa a tampa da sanita aberta»

Apesar de estar sempre a dizer-lhe para baixar a tampa da sanita, ele nunca se lembra de o fazer. «A mudança comportamental é lenta quando não existe motivação», diz o psicólogo. «Não adianta
irritar-se quando ele não tapa a sanita, mesmo se já lhe disse inúmeras vezes para o fazer», sublinha Quintino Aires. Ajude-o a lembrar-se das suas palavras, colocando um pequeno letreiro em papel junto ao botão do autoclismo.

«Deixa a roupa suja por todo o lado»

Manter a casa limpa e em ordem não é fácil, ainda para mais quando ele insiste em espalhar a roupa suja pela casa. «Da próxima vez que saírem juntos peça-lhe para tirar uma fotografia ao seu rosto e sorria. Depois coloque a fotografia bem visível na casa de banho com uma mensagem do género Como fico feliz por não deixares a roupa suja fora do sítio», sugere. Partilhar as tarefas domésticas pode ser uma boa forma de ele perceber o trabalho que dá recolher roupa suja e incentivá-lo a usar o cesto para o efeito.

Discurso proibido

As cinco frases que deve evitar para não o irritar:

1. «És sempre o mesmo, nunca vais mudar» Evite frases que comecem com «sempre» ou «nunca». Além de geralmente não corresponderem à realidade, fazem com que o outro se sinta julgado e condenado.

2. «Nada do que faço está bem para ti» Evite fazer-se de vítima ou sentir pena de si própria. Este tipo de frase não ajuda a construir uma relação saudável.

3. «Os teus amigos estão sempre em primeiro lugar» Não dispute a atenção da sua cara-metade e mantenha uma vida social saudável. Além de ajudar a fortalecer o casal, evita criar uma relação possessiva.

4. «Quantas vezes vamos discutir a mesma coisa?» Se a discussão se repete é porque o assunto não está resolvido. Tente analisar com calma o problema pendente para que não seja motivo de novas discussões.

5. «Antes não eras assim» Se cresce e muda ao longo do tempo, o mesmo acontece com o seu parceiro, pelo que deve aceitar essa mudança. Aproveite o crescimento mútuo para fortalecer a relação.

AS QUEIXAS DELES

«Irrita-me ela ter a mania das limpezas»

«Como, no subconsciente, limpar e arrumar equivalem a corrigir o que está mal, quanto mais se sentem abandonadas pelo marido, mais precisam das limpezas», comenta Quintino Aires, que deixa um conselho. «Mostre-se interessado no que ela lhe pode contar sobre seu o dia», aconselha. «Ou então, quando começar a limpar a casa, diga-lhe um piropo e interrompa-a muitas vezes para lhe dar um beijo rápido», sugere ainda o especialista.

Só precisa repetir estas receitas até que ela se farte das limpezas, assegura Quintino Alves. «Mas deve manter-se atento e se a síndrome das limpezas parecer estar de volta, reinicie o plano», aconselha o psicólogo.

«Demora tanto tempo a maquilhar-se de manhã»

«A história das mulheres é uma história de conquista de homens», explica Quintino Aires. «Hoje, felizmente, a vida social é bem diferente, mas há vestígios que ainda não desapareceram». Daí a necessidade que as mulheres mostram de estarem fantásticas sempre que podem ser observadas por outras pessoas.

«Nunca lhe diga que é demais, mas também não reforce dizendo, sistematicamente, que naquele dia está maravilhosa. Não mostre ciúmes, pois esse comportamento iria justificar o esforço dela», aconselha. «Recorra à rivalidade entre as mulheres e diga-lhe que poderia fazer um curso de maquilhagem como a mulher de um amigo seu que, depois de ter aprendido, é extremamente prática e rápida a maquilhar-se e está sempre maravilhosa», sugere ainda.

«Passa a vida a amuar»

Não há nada pior do que sentir necessidade de desabafar sobre um problema que a afeta e verificar desinteresse do outro lado. «Não é boa ideia negar um desabafo à sua mulher. Ainda pior ideia é fingir que a está a ouvir», lembra Quintino Aires. Promova o diálogo. «Desligue a televisão e o computador e escute o que ela tem para dizer», aconselha o psicólogo.

O especialista aponta mesmo uma receita que classifica como infalível. «Não afaste o seu olhar dos olhos dela e simplesmente acene com a cabeça, fazendo um sinal afirmativo. Não é tão difícil quanto parece e faz milagres», assegura Quintino Aires.

«Ela não gosta de sair com os meus amigos»

«As mulheres não gostam de se sentir ignoradas e o entusiasmo masculino nas conversas com os amigos é a principal razão para que elas não gostem de os acompanhar quando saem com eles», explica. Ajude-a a integrar-se no grupo como sugere o psicólogo. «Enquanto conversa com eles
dê-lhe a mão e, por vezes, faça-lhe uma festa no cabelo. Enquanto os seus amigos estão a conversar entre eles, olhe só para ela e sorria-lhe ou pergunte-lhe se quer alguma coisa», refere.

Ao chegarem a casa, por exemplo, diga-lhe o quanto apreciou a presença dela. Um estudo patrocinado pela Benenden Healthcare Society revelou que o stress é o grande culpado das discussões domésticas. A maioria dos entrevistados admitiu brigar por gastos, falta de ajuda nas tarefas domésticas e pagamentos em atraso.

Texto: Sónia Ramalho com Joaquim Quintino Aires (psicólogo)

artigo do parceiro:

Comentários