O (des)amor e as redes sociais: como proceder após uma separação

A revista norte-americana Vogue dá cinco dicas de etiqueta sobre como lidar com uma separação na era da internet e das redes sociais.

Pensar no futuro

Uma das regras mais valiosas começa por manter uma vida pessoal fora da internet. Com isto não querem dizer que é necessário “esconder” a nossa relação do mundo que nos rodeia, mas é mais prudente que atuemos de forma discreta. Assim não corremos o risco de, futuramente, termos que dar de caras com posts que desejávamos nunca ter colocado online. Já dizia o ditado: "Mais vale prevenir do que remediar".

Bloquear ou não bloquear, eis a questão

Apesar de para muitas pessoas ser perfeitamente aceitável permanecer “amiga” no Facebook de um ex-namorado, há quem prefira cortar o mal pela raiz e evitar qualquer tipo de contacto não desejado. “Felizmente temos aquela opção em que podemos não receber os posts de determinada pessoa”, disse uma das editoras da revista.

Longe da vista, longe do coração

Há os extremistas e há os moderados. Para uma das editoras de moda da Vogue, apagar a existência de um ex-namorado das nossas redes sociais não passa de um ato cruel e extremo. “Podemos estar tristes por a nossa relação ter acabado, mas apagar todas as provas de que a relação alguma vez existiu?” Outra jornalista acredita que devemos fazer aquilo que nos faz sentir melhor. No final do dia, aquela é a nossa página pessoal e não somos obrigados a ver aquilo que não queremos.

Começar do zero com outra pessoa

Quando se está a começar uma nova relação, pode ser desconfortável para a outra pessoa ter que lidar com a presença e com os “fantasmas” das relações passadas. Para muitos colocar “gostos” nas fotografias de ex-namorados/as é um comportamento inaceitável e que deve ser evitado a todo o custo. “Na minha opinião é uma das piores formas de contacto de todos os tempos. Não temos que escrever um email ou telefonar, basta clicar no ecrã e fazer a outra pessoa acreditar que estamos a pensar nela” afirmou uma das jornalistas da Vogue.

Não tem presença online

Atualmente é raro conhecermos alguém que não tem uma conta de Facebook, Twitter ou Instagram. Para muitas mulheres isso pode ser visto com bons olhos e até melhorar a relação. “Normalmente quando começo a namorar com alguém, gosto de fazer uma mini-investigação no Instagram. Mas tenho de admitir que há algo de muito atraente nas pessoas que não me dão essa opção. Tens de te esforçar muito mais para os conheceres melhor”.

Comentários