Não sabe definir muito bem a sua vida sentimental? Estes termos vão ajudá-lo

A pensar na dificuldade que temos em expressar aquilo que sentimos, inspirámo-nos no ‘The Date Report’ e ‘The Pool’ e damos-lhe a conhecer 20 palavras que, apesar de não terem tradução para português, podem ajudá-lo a clarificar as suas emoções e vida amorosa.

Se por acaso já lhe aconteceu ter relações sexuais, mais do que uma vez, com a mesma pessoa e não sabe o que lhe chamar, os suecos dão uma ajudinha: Buksvåger.

A palavra mamihlapinatapai, utilizada em tempos pelos indígenas chilenos, serve para descrever o seguinte: a troca de olhares entre duas pessoas que se desejam mas que por terem vergonha de dar o primeiro passo ficam à espera que seja o outro a fazê-lo.

Na língua sueca, o termo särbo serve para descrever duas pessoas que estão num relacionamento amoroso e por alguma razão tem de manter, durante alguns meses, uma relação à distância.

Quantos homens não apreciam o corpo de uma mulher sem nunca lhe ver a cara? Os japoneses utilizam o termo bakku-shan quando se querem referir a uma mulher que é considerada atraente somente quando é vista de costas.

Se é comprometido e não consegue imaginar a sua vida sem a sua cara-metade, então a palavra árabe tuqburni descreve a sua relação na perfeição.

Os alemães têm uma expressão para as pessoas que já tiveram a coragem de entrar, às escondidas, pela janela do quarto de alguém para ter relações sexuais. A isto, que mais parece uma cena retirada de filme, dá-se o nome de fensterln.

Em Filipino, o termo paasa refere-se aquele tipo de pessoa que apesar de demonstrar interesse em namorar connosco na realidade está a enganar-nos de forma propositada e fazer-nos perder tempo.

Este é um termo que se existisse em português poderia ser usado por muitos casais para descrever a sua relação. A palavra sambo descreve os casais que estão a viver juntos e a atravessar uma ótima fase a nível sentimental mas que não são casados.

Sabe aquela sensação de estar num relacionamento amoroso com alguém e de repente perceber que, apesar de gostarem um do outro, a relação não tem pernas para andar? Na índia dá-se o nome de onsra.

Eis uma palavra que deveria existir em todas as línguas: o termo alemão kummerspeck que se refere as quilinhos a mais que grande parte da população feminina ganha após o fim de uma relação.

Em português não existe uma palavra que consiga descrever aquilo que sentimos quando nos apaixonamos perdidamente por alguém pela primeira vez. Mas os noruegueses têm: forelsket.

Se está a sair com alguém há uns tempos e ainda não definiram bem o vosso relacionamento então está na hora de Gretchenfrage. Ou seja, perguntar à pessoa em questão quais são as suas verdadeiras intenções.

Em francês o termo la douleur exquise serve para descrever a dor que alguém sente ao amar alguém que está fora do seu alcance.

Em filipino a palavra gigil significa aquela sensação incontrolável que, por vezes sentimos, quando queremos abraçar ou agarrar alguém de quem gostamos.

Sabe aquelas pessoas que fazem reciclagem das relações amorosas? Existem uma palavra, em italiano, para descrever esse tipo de relacionamentos: cavoli riscaldati.

Por exemplo, a palavra sueca mambo refere-se aos casais que apesar de manterem um relacionamento afetivo vivem em casas separadas.

Razbliuto é um palavra russa que expressa aquilo que sentimos ao reencontrarmos um amor antigo por quem já não sentimos qualquer espécie de sentimento amoroso.

Os filipinos têm uma expressão curiosa. Quando alguém diz layogenic está a referir-se a uma pessoa que ao longe parecia bastante atraente mas que ao aproximar-se de nós verificamos que afinal não o é.

Quando conhecemos alguém que, no futuro, se irá tornar nosso namorado ou marido é algo a que os japoneses chamam de koi no yokan.

Bastante similar à expressão americana ‘butterflies’, a língua inuit tem uma palavra - Iktsuarpok - que descreve a expectativa e nervosismo que sentimos quando estamos à espera que alguém nos venha buscar a casa.

Comentários